Banner
Banner
Banner
Banner
Vôlei
Vôlei: Brasileiras estão na Fase Final do Grand Prix
Notícias - Vôlei
Seg, 24 de Julho de 2017 08:52
alt


A seleção brasileira feminina de vôlei está na Fase Final do Grand Prix. Neste domingo (23.07), com o apoio de 10.143 torcedores que lotaram o Aecim Tocantins, o Brasil superou os Estados Unidos por 3 sets a 1 (25/20, 25/13, 18/25 e 25/18), em 1h45 de jogo, em Cuiabá (MT). Com o resultado, o time verde e amarelo garantiu um lugar entre as seis melhores equipes da competição.


A Fase Final acontecerá de dois a seis de agosto, em Nanjing, na China. As brasileiras terão folga nesta segunda-feira (24.07) e já embarcarão para o país asiático na terça-feira (25.07).


O resultado colocou o Brasil em terceiro lugar na classificação geral, com 18 pontos (seis vitórias e três derrotas). A Sérvia lidera, com 22 pontos, seguida pelos Estados Unidos, com 19. A Itália é a quarta colocada, com 16 pontos. As quatro equipes citadas já garantiram um lugar na Fase Final. A China, país sede, também está garantida. A última vaga ficará entre Holanda, que ainda joga neste domingo, e o Japão.


A ponteira Natália foi a maior pontuadora da vitória das brasileiras, com 19 acertos. A central Adenízia, com 18 pontos (cinco de bloqueio) e a oposta Tandara, com 14 acertos, também se destacaram. Pelos Estados Unidos, os destaques foram a central Dixon e a atacante Courtney, com 12 cada.


Ao final do confronto, a ponteira Natália comentou sobre a boa vitória das brasileiras sobre os Estados Unidos.


“Nosso time está de parabéns. Viemos com muita pressão para o Brasil e conseguimos realizar bem o nosso trabalho. Sabíamos que precisávamos vencer as três partidas e cada jogo aqui foi uma decisão. Agora já temos que pensar na Fase Final. Sabemos que ainda temos muito o que melhorar, mas estamos no caminho certo e a atitude que demonstramos nessa semana foi fundamental para os resultados”, disse Natália.


A central Adenízia, que contagiou a torcida com sua garra, agradeceu o apoio recebido pelos torcedores e chamou a atenção para a postura do time verde e amarelo.


“Tivemos altos e baixos na competição, mas esses dois últimos jogos foram muito bons. O que mostramos hoje é o Brasil, com garra, vibração e não desistindo em nenhum momento. Sabíamos da importância dessas vitórias e a torcida foi fundamental para esse resultado”
, afirmou Adenízia.


O treinador José Roberto Guimarães fez questão de agradecer ao apoio recebido pelos torcedores de Cuiabá.


“Temos que agradecer Cuiabá por ter nos recebido muito bem e a torcida foi fundamental para as nossas vitórias. Conseguimos treinar mais, recebemos o carinho de todos e apresentamos um voleibol melhor. Fico feliz pela atmosfera, por termos evoluído e pela classificação. Ainda precisamos evoluir e ter mais regularidade. Será muito importante jogarmos a Fase Final para enfrentarmos as melhores seleções do mundo”, explicou José Roberto Guimarães.


Entenda o Grand Prix


No Grand Prix, de sete a 23 de julho, as 12 principais seleções disputarão a fase de classificação.A cada semana serão formados três grupos com quatro seleções em cada, definidas em sorteio. Ao fim da fase classificatória, as cinco equipes mais bem classificadas avançarão à Fase Final, que contará ainda com a China, país sede. A Fase Final acontecerá de dois a seis de agosto, em Nanjing, na China.


No primeiro fim de semana da competição, o Brasil venceu a Bélgica e a Turquia, respectivamente, por 3 sets a 0 e 3 sets a 2 e foi superado pela Sérvia por 3 sets a 0. Na segunda semana, as brasileiras estrearam com vitória sobre a Sérvia por 3 sets a 0 e foram superadas pela Tailândia pelo mesmo placar e pelo Japão por 3 sets a 2.


Na terceira semana da competição, as brasileiras jogando diante da sua torcida venceram a Bélgica no primeiro duelo por 3 sets a 0, no segundo a Holanda por 3 sets a 1, e no quarto os Estados Unidos por 3 sets a 1.


O Brasil é o atual campeão do Grand Prix e luta pelo 12º título da competição.


O JOGO


Brasil começa melhor e faz 4/1. Os Estados Unidos cresceu de produção e virou o marcador (7/5). O Brasil voltou a equilibrar a parcial e foi para o primeiro tempo técnico com um de vantagem (8/7). Com um erro das norte-americanas, o time verde e amarelo abriu dois (10/8). Com uma largada da oposta Tandara, as brasileiras abriram três pontos (12/9). Se aproveitando dos erros das adversárias, o Brasil fez 14/10. Bem no bloqueio, as donas da casa fizeram 18/14. O Brasil segurou a vantagem até a final e venceu o primeiro set por 25/20.


As brasileiras mantiveram o bom momento e fizeram 5/2 no início do segundo set. Numa boa largada da ponteira Natália, o time verde e amarelo manteve a diferença no marcador (8/5). A central Adenízia cresceu de produção e as brasileiras fizeram 12/5. A ponteira Rosamaria se destacou no saque e o time verde e amarelo fez 12/7. As brasileiras mantiveram a vantagem no placar e fizeram 19/9. O Brasil dominou a parcial até o final e venceu o segundo set por 25/13.


Os Estados Unidos voltaram melhor para o terceiro set e fizeram 6/2. Neste momento, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as norte-americanas seguiram melhores e fizeram (10/4). Com Natália bem pela pipe, Brasil faz dois pontos seguidos (10/6). Bem no boqueio, as norte-americanas fizeram 16/8. Os Estados Unidos seguraram a reação do time da casa e venceram o terceiro set por 25/18.


Os Estados Unidos fizeram os três primeiros pontos da quarta parcial. A central Adenízia cresceu de produção e o time verde e amarelo empatou (5/5). O Brasil foi para o primeiro tempo técnico do quarto set com dois de vantagem (8/6). A central Adenízia conseguiu um bom saque e as brasileiras abriram quatro pontos (11/7). O Brasil foi para o segundo tempo técnico com cinco de vantagem (16/11). O Brasil dominou a parcial até o final e venceu o set por 25/18 e o jogo por 3 sets a 1.


EQUIPES:


BRASIL: Roberta, Tandara, Natália, Rosamaria, Adenízia e Carol. Líbero – Suelen

Entraram: Monique, Macris, Amanda, Drussyla, Gabi e Bia

Técnico – José Roberto Guimarães


ESTADOS UNIDOS: Lioyd, Murphy, Kingdon, Courtney, Gibbemeyer e Dixon. Líbero – Wong

Entraram:Hancock, Sarah e McMahon

Técnico: Karch Kiraly


ÁRBITROS:


1º - Vlademir Simonovic (Sérvia)

2º - Scott Mc Lean (Canada)



Texto: Confederação Brasileira de Voleibol (CBV)

Foto: Divulgação/FIVB

 
Vôlei: Pelo Grand Prix Feminino, Brasil vence Bélgica em Cuiabá
Notícias - Vôlei
Sex, 21 de Julho de 2017 12:51
alt

A seleção brasileira feminina de vôlei começou com vitória a etapa do Brasil do Grand Prix. Com o apoio de 3.380 torcedores que compareceram ao ginásio Aecim Tocantins, as brasileiras levaram a melhor sobre a Bélgica, nesta quinta-feira (20.07), por 3 sets a 0 (28/26, 25/19 e 25/20), em 1h27 de jogo, em Cuiabá (MT). Brasileiras e belgas formam ao lado da Holanda e dos Estados Unidos, o grupo I da competição.


Com o resultado, o Brasil subiu para o quarto lugar na classificação geral e retornou ao grupo das cinco seleções que avançam à Fase Final. No entanto, a rodada ainda será encerrada na madrugada de sexta-feira (21.07).


O Brasil voltará à quadra nesta sexta-feira (21.07), às 14h05 (horário local)/15h05 (horário de Brasília), contra a Holanda. A TV Globo e o SporTV 2 transmitirão ao vivo.


A oposta Tandara foi a maior pontuadora do confronto, com 17 pontos. A ponteira Rosamaria, com 15, a capitã Natália e a central Carol, com 13 cada, também pontuaram bem pela equipe verde e amarela. Pelo lado da Bélgica, a atacante Grobelna foi o destaque, com 16 acertos.


O principal destaque das brasileiras no confronto foi o bloqueio, com 13 pontos do fundamento. As centrais Carol e Adenízia marcaram cinco pontos cada uma de bloqueio.


Maior pontuadora do duelo, a oposta Tandara comentou sobre o resultado da partida e importância do jogo na briga pela classificação para Fase Final.


“Foi um jogo importante na nossa busca pela classificação para Fase Final na China e esses três pontos conquistados foram fundamentais. Hoje ainda sentimos um pouco o fuso horário e acredito que vamos jogar melhor contra a Holanda. Esses três pontos foram a recompensa de toda a adversidade que enfrentarmos com fuso horário e cansaço. A torcida nos incentivou durante toda a partida e foi muito bom jogar dentro de casa”, disse Tandara.


O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da atuação do Brasil no duelo contra a Bélgica.


“Estamos mantendo uma média muito boa de bloqueios durante toda a competição. Já o nosso passe e a defesa precisam melhorar. E para evoluirmos nesses fundamentos temos que treinar mais. Foi importante temos vencido e conquistado esses três pontos, mas sabemos que precisamos evoluir em alguns aspectos para enfrentar as melhores seleções do mundo”, disse José Roberto Guimarães, que também falou sobre o duelo desta sexta-feira contra a Holanda.


“A Holanda não tem como característica um bloqueio pesado e é uma equipe muito voluntariosa na defesa. Elas estão vivendo um bom momento, já se classificaram para  a fase final e estão jogando com velocidade. Além disso, elas têm jogadoras experientes que jogam juntas há algum tempo. É um jogo chave para nossa equipe, pois se ganharmos vamos dar um passo importante para a classificação”, explicou José Roberto Guimarães.


O JOGO


A Bélgica começou melhor e fez 6/3. O time europeu foi para o 1º tempo técnico com quatro de vantagem (8/4). Bem no saque e nos contra-ataques, as brasileiras deixaram tudo igual no marcador (10/10). A Bélgica voltou a abrir vantagem no marcador e fez 17/14. A oposta Tandara se destacava no ataque e com bom aproveitamento do bloqueio, o Brasil virou o marcador (22/21). O final da parcial foi disputado ponto a ponto e com destaque para a oposta Tandara, as brasileiras fecharam a parcial por 28/26.


O segundo set seguiu equilibrado. Com um ponto de saque da ponteira Natália, o Brasil abriu um ponto (13/12). As brasileiras foram para o segundo tempo técnico com um de vantagem (16/15). Bem no bloqueio, as brasileiras abriram três pontos (20/17) no final da segunda parcial e o técnico da Bélgica pediu tempo. O Brasil seguiu melhor e venceu o segundo set por 25/19.


O Brasil começou bem o terceiro set e fez 6/4. Bem no saque, as brasileiras fizeram 14/10. O Brasil seguiu melhor e foi para o segundo tempo técnico vencendo por 16/11. As brasileiras seguraram uma reação da Bélgica e, com destaque para o bloqueio, venceram a parcial por 25/20 e o jogo por 3 sets a 0.



Texto: Confederação Brasileira de Voleibol (CBV)

Foto: André Romeu/MPIX/CBV

 
Vôlei: Pelo Grand Prix, Brasil perde para o Japão
Notícias - Vôlei
Seg, 17 de Julho de 2017 14:54
Seleção Feminina decide vaga para fase final em casa
alt

A seleção brasileira feminina de vôlei lutou, buscou um placar adverso, mas não conseguiu superar o Japão na segunda semana do Grand Prix. Neste domingo (16.07), a equipe do treinador José Roberto Guimarães foi superada pelas japonesas em um equilibrado confronto por 3 sets a 2 (25/22, 26/24, 19/25, 20/25 e 17/15), em 2h12 de jogo, na Kamei Arena, em Sendai, no Japão.


Ao final da segunda semana do Grand Prix, o time verde e amarelo soma três vitórias e três resultados negativos na competição, com nove pontos. No momento, na classificação geral, as brasileiras aparecem em sexto lugar. Ainda neste domingo acontecerão outros jogos da última rodada da semana. A Sérvia lidera, com 12 pontos, seguida pela Holanda e os Estados Unidos, também com 12, mas com um pior saldo de sets. A Itália é a quarta colocada, com 10 pontos e o Japão o quinto, com nove, mas com uma vitória a mais que as brasileiras. Sérvia, Holanda e Estados Unidos ainda jogam neste domingo.


A atacante japonesa Shinnabe Risa foi a maior pontuadora na partida deste domingo, com 22 pontos. Pelo lado das brasileiras, Rosamaria, com 19, e Tandara, com 17, foram os destaques.


 O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da partida e parabenizou o Japão pela vitória.


“Temos que parabenizar o Japão pela vitória. Elas jogaram muito bem os dois primeiros sets e mantiveram uma concentração alta no tie-break, que foi equilibrado. Nos dois primeiros sets foi muito difícil bloquear e defender o ataque das japonesas em função da qualidade e da precisão do passe delas. No terceiro e no quarto sets ajustamos mais o nosso bloqueio e começamos a jogar melhor e mais confiantes. A atitude do nosso time em relação a ontem foi melhor e temos que seguir treinando para evoluir”, disse José Roberto Guimarães.


O Brasil viajará na manhã desta segunda-feira (17.07) para Cuiabá (MT), no Brasil, onde disputará a terceira semana do Grand Prix. As brasileiras terão pela frente a Bélgica, a Holanda e os Estados Unidos. O primeiro desafio do time verde e amarelo em casa será contra as belgas às 14h05 (horário local) da próxima quinta-feira (20.07), no ginásio Aecim Tocantins. A Rede Globo e o SporTV transmitirão ao vivo.


Entenda o Grand Prix


No Grand Prix, de sete a 23 de julho, as 12 principais seleções disputarão a fase de classificação. A cada semana serão formados três grupos com quatro seleções em cada, definidas em sorteio. Ao fim da fase classificatória, as cinco equipes mais bem classificadas avançarão à Fase Final, que contará ainda com a China, país sede. A Fase Final acontecerá de dois a seis de agosto, em Nanjing, na China.


No primeiro fim de semana da competição, o Brasil venceu a Bélgica e a Turquia, respectivamente, por 3 sets a 0 e 3 sets a 2 e foi superado pela Sérvia por 3 sets a 0. Na segunda semana, as brasileiras estrearam com vitória sobre a Sérvia por 3 sets a 0 e foram superadas pela Tailândia pelo mesmo placar e pelo Japão por 3 sets a 2.


O Brasil é o atual campeão do Grand Prix e luta pelo 12º título da competição.


O JOGO


O Brasil começou melhor e fez 4/1. O Japão cresceu de produção, virou o marcador e abriu dois pontos (6/4). Neste momento, as brasileiras conseguiram cinco pontos seguidos e fizeram 9/6. O set ficou disputado ponto a ponto. Com um ataque da ponteira Natália, o time verde e amarelo fez 13/11. O Brasil segurou a vantagem no segundo tempo técnico (16/14). O final da parcial foi equilibrado com as equipes se alternando na liderança do marcador. Quando o Japão fez 20/19, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. As donas as casa cresceram de produção e abriram três pontos (22/19). O Japão segurou a vantagem e venceu o primeiro set por 25/22.


O Japão fez os dois primeiros pontos da segunda parcial. O Brasil empatou com um ataque da ponteira Natália. O set ficou disputado ponto a ponto. Se aproveitando dos erros do Japão, o Brasil abriu dois pontos (8/6). Bem no bloqueio, o time verde e amarelo abriu quatro (12/8) e o treinadora do Japão pediu tempo. A parada fez bem e as donas da casa que empataram (12/12). Com um ponto de saque, o Japão foi para o segundo tempo técnico com dois de vantagem (16/14). Quando as japonesas fizeram 23/20, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. A central Bia conseguiu um ponto de saque e o Brasil diminuiu a vantagem no placar para um ponto (24/23), mas as japonesas seguraram a vantagem e venceram o segundo set por 26/24.


O terceiro set começou equilibrado. A ponteira Rosamaria conseguiu um ponto de ataque e o Brasil fez 4/3. E foi com um ponto de saque da jovem ponteira que as brasileiras fizeram 7/6. Se aproveitando dos erros das donas da casa, o Brasil abriu três pontos (12/9). As brasileiras foram para o segundo tempo técnico com dois de vantagem (16/14). As japonesas arrumaram o passe e empataram (17/17). Com um ponto de bloqueio, o Brasil abriu dois pontos (21/19) e a técnica do Japão pediu tempo. O bloqueio das brasileiras funcionou no final da parcial e o Brasil levou a melhor no terceiro set por 25/19.


O Brasil fez os dois primeiros pontos da quarta parcial. As brasileiras foram para o primeira parada técnica com um de vantagem (8/7). Com volume de jogo, o time verde e amarelo abriu três pontos (12/9). A central Carol conseguiu um ponto atacando uma bola de China e o Brasil fez 16/13. O bloqueio do time verde a amarelo dificultava a rotação das japonesas e a diferença no marcador subiu para cinco pontos (18/13). O Brasil segurou uma reação do Japão e venceu a quarta parcial por 25/20.


Com um ponto de bloqueio, Brasil fez o primeiro ponto da quinta parcial. O Japão fez quatro pontos na sequência (4/1). Quando o Japão fez 7/4, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. A parada fez bem as visitantes que encostaram (7/6). A oposta Tandara cresceu de produção e o Brasil empatou (9/9). Depois de um longo rally, o Japão abriu dois pontos (13/11). Com um ponto de bloqueio da ponteira Rosamaria, o time verde e amarelo deixou tudo igual no quinto set (13/13). O tie-break foi jogado ponto a ponto até o final, mas o Japão foi melhor e venceu a parcial por 17/15 e o jogo por 3 sets a 2.


TREINOS ABERTOS EM CUIABÁ (MT)


A seleção feminina fará treinos abertos para a imprensa no ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá (MT) na terça e na quarta-feira. Na terça-feira (18.07), o treinamento será realizado das 20h30 às 22h e na quarta-feira (19.07) em dois períodos, das 12h30 às 14h e das 17h30 às 19h. 


EQUIPES:


BRASIL – Roberta, Tandara, Drussyla, Natália, Bia e Adenízia. Líbero: Gabi

Entraram –Monique, Naiane, Amanda, Rosamaria, Carol

Técnico - José Roberto Guimarães


JAPÃO – Sato, Koga, Shinnabe, Iwasaka, Okumura, Uchiseto e   Líbero: Kotoe

Entraram – Ishii, Nabeya, Tominaga, Shimamura, Miyashita

Técnica – Kumi Nakada


ÁRBITROS


1º - Maroszek Wojciech (Polônia)

2º - Luo Wensheng (China)


Grand Prix


1ª semana – Ancara (Turquia)


07.07 – Brasil 3 x 0 Bélgica (25/22, 25/23 e 25/18)

08.07 – Brasil 0 x 3 Sérvia (19/25, 20/25 e 19/25)

09.07 – Brasil 3 x 2 Turquia (24/26, 25/17, 25/18, 22/25 e 15/13)


2ª semana – Sendai (Japão)


14.07 – Brasil 3 x 0 Sérvia (26/24, 25/17 e 25/22)

15.07 – Brasil 0 x 3 Tailândia (22/25, 21/25 e 27/29)

16.07 – Brasil 2 x 3 Japão (22/25, 24/26, 25/19, 25/20 e 15/17)



Texto: Confederação Brasileira de Voleibol (CBV)

Foto: Divulgação/FIVB

 

TRAVINHA TV

Banner
Banner

Newsletter


Fotos



Copyright © 2017 Travinha Esportes. Todos os direitos reservados.