Banner
Banner
Banner
Banner
Vôlei de Praia
Vôlei de Praia: Evandro e André são campeões mundiais em Viena
Notícias - Vôlei de Praia
Dom, 06 de Agosto de 2017 17:16
alt


Domingo (06.08) foi mesmo dia de comemoração para o voleibol brasileiro. Se nas quadras as meninas levaram o ouro, nas areias também teve troféu. E comemorado na casa dos adversários. A dupla brasileira Evandro e André Stein (RJ/ES) venceu os austríacos Doppler e Horst por 2 sets a 0 (23/21 e 22/10) em uma arena lotada em Viena.


Para realizar o feito, os brasileiros demonstraram uma reação espetacular já no primeiro set. Os austríacos chegaram a ter três sets points, mas com três aces seguidos de Evandro, a equipe brasileira virou o placar e fechou o set.


Além do título, Evandro foi o melhor sacador do torneio, tendo acertado 43 aces, bem à frente do segundo colocado, o polonês Losiak, que anotou quase a metade: 22. Já André, com apenas 22 anos, é o atleta mais jovem a vencer o evento.


Vencer em casa adversária já não é novidade para o Brasil. O carioca e o capixaba repetiram o feito de Alison e Bruno Schmidt (ES/DF), que silenciaram a torcida holandesa em 2015, ao também vencerem Varenhorst e Nummerdor. Essa é a sétima vez que uma dupla masculina brasileira conquista o título do Campeonato Mundial, realizado desde 1997 e disputado de dois em dois anos.



Texto: Nathália Ely/Travinha esportes

Foto: Divulgação/FIVB

 
Vôlei de praia: Nove duplas brasileiras buscam título mundial na Áustria
Notícias - Vôlei de Praia
Sex, 28 de Julho de 2017 11:28
alt

O Campeonato Mundial de vôlei de praia 2017 começa nesta sexta-feira (28.07), na capital austríaca de Viena, com a presença de nove duplas brasileiras em busca de medalhas. O país terá uma mescla de experiência e juventude para manter a hegemonia na competição – são seis títulos entre os homens e outros cinco entre as mulheres desde a criação do torneio pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB), em 1997.


A competição é realizada de dois em dois anos, e pela primeira vez será disputada em Viena. A Áustria já havia recebido um Campeonato Mundial em 2001, mas na cidade de Klagenfurt. Além de ter campeões próprios, o torneio também conta pontos importantes para o ranking geral do Circuito Mundial, que soma o desempenho dos atletas em todas as etapas da temporada e pode ter vencedores distintos.


O Brasil será representado por nove duplas, cinco no naipe feminino e outras quatro no torneio masculino. Ágatha/Duda (PR/SE) estão no grupo C, Elize Maia/Taiana (ES/CE) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ) estão no grupo H e se enfrentam já na estreia. Larissa/Talita (PA/AL) está na chave A, e Maria Elisa/Carol Solberg (PE/RJ) ficam no grupo I.


Além de Ágatha e Bárbara Seixas, que conquistaram o torneio em 2015, jogando juntas, Larissa também já subiu ao lugar mais alto do pódio e é a atleta com mais medalhas. Venceu no Campeonato Mundial de 2011, na Itália, e conquistou duas pratas (2005, na Alemanha, e 2009, na Noruega), além de um bronze (2007, na Suíça), todos ao lado de Juliana.


Taiana e Fernanda Berti possuem uma prata do vice-campeonato na edição passada, enquanto Maria Elisa soma dois bronzes, um ao lado de Talita, em 2009, e outro em 2015, com Juliana. A atual campeã Bárbara também soma um bronze, conquistado em 2013, na Polônia, ao lado de Lili.


No torneio masculino o país terá Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) no grupo E, Álvaro/Saymon (PB/MS) na chave A, Evandro/André Stein (RJ/ES) dentro do grupo D, e Pedro Solberg/Guto (RJ) na chave H, sem confronto de brasileiros na primeira fase.


Alison é quem mais possui medalhas. Campeão na edição passada, ao lado de Bruno Schmidt, venceu também em 2011, na Itália, com o campeão olímpico Emanuel, e ficou com a prata em 2009, na Noruega, jogando com Harley Marques.


Álvaro Filho soma uma prata, jogando ao lado do campeão olímpico Ricardo na edição de 2013, na Polônia, quando também foi escolhido melhor jogador da competição. Já Evandro e Pedro Solberg possuem um bronze, conquistado no evento passado, na Holanda.


Larissa e Talita chegam para a competição com uma credencial importante, são as atuais líderes do ranking geral, tendo vencido três torneios na atual temporada e conquistado também uma prata. Larissa comentou as chances da parceria no Mundial.


“Esse é o torneio em que todos os atletas querem estar competindo. Já experimentei a sensação de vencer um Campeonato Mundial uma vez e espero que façamos nosso melhor aqui. Estou confiante de que se fizermos o que sabemos e jogarmos em equipe e com alegria, temos uma boa chance de conseguir uma medalha de ouro”,
disse a capixaba.


As 48 equipes de cada gênero são divididas em 12 grupos com quatro. Ao final da fase de grupos, os dois primeiros colocados de cada chave vão à fase eliminatória. Os quatro melhores terceiros colocados também avançam, enquanto os outros oito terceiros de cada grupo jogam entre si para definir as ultimas quatro vagas, e as 32 equipes finais da etapa de mata-mata. Daí por diante o torneio segue em sistema eliminatório direto.


A arena central da etapa, com capacidade para 10 mil pessoas, fica em uma ‘ilha’ no Rio Danúbio, que cruza a capital austríaca. O Campeonato Mundial 2017 contará com duplas de 40 países jogando um total de 216 jogos em nove dias.


O Campeonato Mundial é o principal torneio da temporada, com uma premiação total de 1 milhão de dólares (500 mil para cada naipe), e 1.600 pontos aos campeões no ranking geral. O Brasil é o maior vencedor da competição bianual, tendo conquistado seis títulos entre os homens e outros cinco entre as mulheres (veja a lista completa abaixo).


VENCEDORES DO CAMPEONATO MUNDIAL:


Masculino

1997 – Los Angeles (EUA) - Rogério Ferreira/Guilherme Marques (BRA)

1999 – Marselha (FRA) – Emanuel/Loiola (BRA)

2001 – Klagenfurt (AUT) - Mariano Baracetti/Martín Conde (ARG)

2003 – Rio de Janeiro (BRA) – Ricardo/Emanuel (BRA)

2005 – Berlin (ALE) – Marcio Araújo/Fábio Luiz (BRA)

2007 – Gstaad (SUI) – Dalhausser/Todd Rogers (EUA)

2009 – Stavanger (NOR) – Julius Brink/Jonas Reckermann (GER)

2011 – Roma (ITA) – Alison/Emanuel (BRA)

2013 – Stare Jablonki (POL) - Brouwer/ Meeuwsen (HOL)

2015 – Haia (HOL) – Alison/Bruno Schmidt (BRA)


Feminino

1997 – Los Angeles (EUA) - Sandra Pires/Jackie Silva (BRA)

1999 – Marselha (FRA) – Adriana Behar/Shelda (BRA)

2001 – Klagenfurt (AUT) - Adriana Behar/Shelda (BRA)

2003 – Rio de Janeiro (BRA) – Kerri Walsh/Misty May-Treanor (EUA)

2005 – Berlin (ALE) – Kerri Walsh/Misty May-Treanor (EUA)

2007 – Gstaad (SUI) – Kerri Walsh/Misty May-Treanor (EUA)

2009 – Stavanger (NOR) – April Ross/Jennifer Kessy (EUA)

2011 – Roma (ITA) – Juliana/Larissa (BRA)

2013 – Stare Jablonki (POL) - Xue Chen/Zhang Xi (CHI)

2015 – Haia (HOL) – Ágatha/Bárbara Seixas (BRA)


O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro.



Texto: Confederação Brasileira de Voleibol (CBV)

Foto: Divulgação

 
Circuito Mundial de Vôlei de Praia acontece na Arena Tênis do Parque Olímpico
Notícias - Vôlei de Praia
Qui, 18 de Maio de 2017 11:56
Vôlei de praia aposta em cultura europeia e agrada atletas
alt

Em agosto de 2016 a Arena do Tênis do Parque Olímpico foi palco das medalhas de ouro de ídolos mundiais como Andy Murray, no simples, e Rafael Nadal, nas duplas, e a prata de Venus Williams nas duplas mistas. Nove meses depois, a pequena bola amarela deu lugar à de vôlei de praia e os ídolos do tênis deram lugar aos da praia com a realização da etapa carioca do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, que segue até domingo, dia 21.


Ao se falar em competições de vôlei de praia logo vem à mente as arenas montadas no litoral da cidade, em especial a de Copacabana, onde o Brasil conquistou o ouro nos Jogos Rio 2016 com Alison/Bruno e a prata com Ágatha/Bárbara. Mas a mudança do Circuito Mundial de Vôlei de Praia para a Arena do Tênis foi bem vista pelos atletas.


“Quando se fala em vôlei de praia o pessoal pensa logo em Copacabana. Mas isso tudo é cultura, na Europa é normal. Praga, Hamburgo e Roma, por exemplo, são dentro das estruturas de tênis”, afirmou Alison. “É maravilhoso competir no Parque Olímpico. Você pode movimentar tudo aqui, tem vestiário para os atletas, estacionamento, hotel em frente. Não tem muito barulho e você pode se concentrar mais. Esse é o caminho para usar as estruturas, não só o vôlei de praia mas também outros esportes”, indicou o campeão olímpico.


Alison não é novato em disputar partidas no Parque Olímpico. Ele e Bruno participaram do Gigantes da Praia em fevereiro de 2017, evento que os colocou frente a frente contra a dupla americana Phil Dalhausser e Nick Lucena em um jogo comemorativo. Outra medalhista olímpica no Rio de Janeiro, Bárbara Seixas não teve essa oportunidade e fez sua estreia na Arena do Tênis nesta etapa do Circuito Mundial.


“É bem diferente pelo fato de ser em um lugar fechado, mas acho que remete um pouco a tudo o que a gente viveu nos Jogos Olímpicos. Alguns lugares da Europa possuem torneios assim, fechados. É bom termos essas duas experiências, de jogar na praia mesmo e aqui”
, disse a dona da prata olímpica.


Bruno concorda com Alison sobre a mudança e a estrutura oferecida. “Ganhamos a medalha em Copacabana e temos uma lembrança gostosa, mas estou gostando muito do evento aqui no Parque Olímpico. De certa forma, também estamos respirando um pouco dos ares do que foram os Jogos Rio 2016, em uma arena de tênis maravilhosa”, opinou. “A logística para os atletas influencia muito no nosso desempenho e todo mundo está gostando. É de fácil acesso, tem estacionamento e é uma arena que pode se equiparar ao que tivemos nos Jogos Olímpicos”, completou.


Circuito Mundial de Vôlei de Praia etapa Rio de Janeiro


Local: Parque Olímpico da Barra - Arena do Tênis -Av. Embaixador Abelardo Bueno - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, 22775-040


Classificação etária: Livre. Menores devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais.


Entrada Gratuita: 17 a 19/05 (TODAS AS SESSÕES) e 20/05 (SESSÃO MANHÃ)

Data para dias com venda: 20/05 e 21/05


Sábado 20/05 (SESSÃO TARDE)

Semifinais Masculina e Feminina

Início do Jogo: 16h30

Abertura dos Portões: 15h30


Domingo 21/05 (SESSÃO MANHÃ)

Disputa de 3º Lugar e Finais Masculina e Feminina

Início do jogo: 8h05

Abertura dos Portões: 7h



Texto: COB

Foto:Divulgação/FIVB

 

TRAVINHA TV

Banner
Banner

Newsletter


Fotos



Copyright © 2017 Travinha Esportes. Todos os direitos reservados.