Banner
Banner
Banner
Banner
Notícias
Atletismo: Confederação convoca Seleção para o Mundial de Londres
Atletismo
Qua, 26 de Julho de 2017 09:20
alt


A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) convocou nesta terça-feira (25.07) os atletas que representarão o País no Campeonato Mundial de Londres, o principal evento do esporte no calendário 2017. A competição será disputada de 4 a 13 de agosto, no Estádio Olímpico Rainha Elizabeth, na capital britânica, o mesmo que foi o palco dos Jogos Olímpicos de 2012.


Foram chamados 34 atletas - 20 no masculino e 14 no feminino -, conforme os índices estabelecidos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) e os critérios fixados pela CBAt e aprovados em Assembleia Geral. Além dos índices fixados pela IAAF, os atletas precisaram estar entre os 40 primeiros colocados no Ranking Olímpico. Por isso, alguns ficaram fora da convocação.


Em compensação, dois atletas entraram pela cota da IAAF: Eliane Martins, no salto em distância, e Allan Wolski, do lançamento do martelo. "A Eliane está em 21º lugar e o Allan em 31º e foram convidados pela IAAF, para completarem o número inicial de atletas em suas provas", explicou o gerente de Alto Rendimento da CBAt, Clovis Franciscon. Pelo mesmo critério, Geisa Coutinho não foi chamada para os 400 m, já que, embora tenha feito o índice, terminou na 45ª colocação.


Outro convocado que ficou fora da equipe é o marchador Jonathan Riekmann, chamado para os 50 km, mas que pediu dispensa alegando problemas de saúde.


"Vamos para o Mundial com uma equipe forte, que garantiu vaga segundo os critérios estabelecidos. O objetivo é lutar pelo maior número possível de vagas nas finais", disse o superintendente de Alto Rendimento, Antonio Carlos Gomes. "A briga pelo pódio será uma consequência", concorda o presidente da CBAt, José Antonio Martins Fernandes, o Toninho.


OS CONVOCADOS


Masculino

Aldemir Gomes Junior (Vasco da Gama-RJ) - 200 m / 4x400 m

Lucas da Silva Carvalho (Orcampi Unimed-SP) - 400 m / 4x400 m

Thiago do Rosario André (B3 Atletismo-SP) - 800 m / 1.500 m

Altobeli Santos da Silva (Pinheiros-SP) - 3.000 m com obstáculos

Eder Antonio Souza (Orcampi Unimed-SP) - 110 m com barreiras

Márcio Soares Teles (B3 Atletismo-SP) - 400 m com barreiras

Hederson Estefani (Pinheiros-SP) - 400 m com barreiras

Hugo Balduíno de Sousa (B3 Atletismo-SP) - 4x400 m

Alexander Russo (B3 Atletismo-SP) - 4x400 m

Anderson Henriques (Sogipa-RS) - 4x400 m

Talles Frederico Sousa Silva (Pinheiros-SP) - salto em altura

Fernando Carvalho Ferreira (B3 Atletismo-SP) - salto em altura

Thiago Braz da Silva (Pinheiros-SP) - salto com vara

Mateus Daniel Adão de Sá (Pinheiros-SP) - salto triplo

Darlan Romani (B3 Atletismo-SP) - arremesso do peso

Wagner Domingos (B3 Atletismo-SP) - lançamento do martelo

Allan Wolski (Pinheiros-SP) - lançamento do martelo

Luiz Alberto de Araújo (B3 Atletismo-SP) - decatlo

Jefferson de Carvalho Santos (Pinheiros-SP) - decatlo

Caio de Sena Bonfim (CASO-DF) - 20 km marcha atlética


Feminino

Rosangela Santos (Pinheiros-SP) - 100 m / 200 m / 4x100 m

Vitória Cristina Rosa (B3 Atletismo-SP) - 100 m / 200 m / 4x100 m

Fabiana dos Santos Moraes (Pinheiros-SP) - 100 m com barreiras

Ana Claudia Lemos (Pinheiros-SP) - 4x100 m

Andressa Moreira Fidelis (ASA São Bernardo-SP) - 4x100 m

Franciela Krasucki (Pinheiros-SP) - 4x100 m

Eliane Martins (Pinheiros-SP) - salto em distância

Nubia Aparecida Soares (B3 Atletismo-SP) - salto triplo

Tania Ferreira da Silva (B3 Atletismo-SP) - salto triplo

Geisa Arcanjo (Pinheiros-SP) - arremesso do peso

Fernanda Borges (B3 Atletismo-SP) - lançamento do disco

Andressa Oliveira (Pinheiros-SP) - lançamento do disco

Laila Ferrer (Pinheiros-SP) - lançamento do dardo

Erica Rocha de Sena (B3Atletismo-SP) - 20 km marcha atlética



Texto:
Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt)

Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

 
Automobilismo: Racha Tarumã tem encontro de rebaixados na sexta-feira
Automobilismo
Qua, 26 de Julho de 2017 09:09

Evento terá pista liberada para todos os carros inscritos

alt

O Autódromo de Tarumã promove, na sexta-feira (28.07), o encontro de rebaixados para os apaixonados por velocidade. Haverá área reservada para a exposição rebaixados e uma arena de medição para estes carros. A pista será liberada para todos os carros inscritos. A programação conta, ainda, com o Show das Cadeiras Elétricas e a dupla de pilotos Márcio Pimentel e Valter Marquetti, levando o público a bordo do carro para manobras radicais na pista.


O ingresso para o evento custa R$ 20,00 e é adquirido nas bilheterias do Autódromo de Tarumã. Mais informações podem ser obtidas através do site rachataruma.com.br ou pelo telefone (51) 3485 1510.



Texto: PlayPress Assessoria e Conteúdo

Foto: Dudu Leal

 
Natação: Nicholas Santos é prata no Mundial de Desportos Aquáticos
Natação
Ter, 25 de Julho de 2017 14:50

Brasileiro ficou com o vice nos 50m borboleta

alt

Nicholas Santos é um fenômeno. O nadador de Ribeirão Preto, aos 37 anos, é o mais velho medalhista em Mundiais de natação em atividade e na noite dessa segunda-feira (24.07) confirmou sua excepcional forma ao ganhar novamente a prata nos 50m borboleta (22s79). No último Mundial, em Kazan 2015, ele também foi o vice-campeão da prova. O vencedor da disputa foi o britânico Benjamin Proud (22s75). O ucraniano Andrii Govorov ficou com o bronze (22s84).


"Estou “super feliz”, estou no “plus”,com 37 anos, sou o nadador mais velho a ganhar medalha em Mundial e ainda estão me perguntando se vou para 2020. Calma, um ano de cada vez, vamos pensar primeiro no Mundial de Curta (25 metros) do ano que vem. Venho acompanhando os caras competindo e sabia que ele (Benjamin) quando descansasse nadaria bem melhor. Não esperava grandes resultados do Govorov, e no momento que você coloca pressão se vê quem segura a onda ou não. Eu não pude analisar o numero que eu fiz, mas a sensação era igual ao tempo que fiz no Maria Lenk (22s61 – Recorde Sul-Americano). Eu queria ter sido o primeiro, mas o Proud sendo o primeiro fiquei mais aliviado, é um cara bacana. O americano ficou batendo no bloco, gritando na entrada e depois “não segurou a bronca”. Amanha é aniversário de meu filho, queria dar o ouro para ele, mas essa prata tá valendo muito. Fiquei bastante feliz com o resultado do revezamento de ontem, fazia muitos anos que não tínhamos medalha, achei que o diferencial foi o Marcelo e o Fratus fechando braço a braço com o Nathan Adrian. No Mundial de Curta temos bastante medalhas, mas no de longa estava demorando",disse.


Dois anos são muito tempo em se tratando de esporte e os cenários podem mudar radicalmente. No último Mundial em Kazan (2015), Proud havia ficado com o oitavo lugar e Govorov terminou na quinta colocação. Os medalhistas no pódio com Nicholas foram o francês Florent Manaudou (ouro) e o húngaro Laszlo Cseh (bronze). Os tempos não dariam pódios a nenhum deles em Budapeste. O ouro em Kazan chegou em 22s97, a prata em 23s09 e o bronze, em 23s15.


Curiosamente, no Mundial da Rússia o Brasil obteve as mesmas colocações: segundo e sexto lugar. A diferença foi que em Budapeste ao invés de Cesar Cielo (23s21) foi Henrique Martins o sexto colocado, com 23s14, tempo que lhe daria o bronze há dois anos.


"A gente sempre entra numa final com a expectativa de conseguir o pódio. O objetivo inicial era pegar a final, mas quando você está na final a cabeça começa a pensar como seria entrar no pódio. O tempo foi praticamente o mesmo da semifinal. Não errei nada na prova, fui consistente, mas não era o suficiente para estar neste pódio. Estou feliz, mas com um gosto de “quero mais”. A gente tenta acelerar o processo, mas de 2014 pra cá eu amadureci muito na parte de treinamento, e na parte mental que acho que é a principal. Falta um pouco ainda. Em Mundial não tem espaço pra ficar nervoso. Foi bom, mas podia ser melhor. Agora vou descansar porque ainda tenho os 100m borboleta (na sexta-feira) e quero ter um bom resultado lá", disse Henrique.


Até o momento, o Mundial dos Esportes Aquáticos em que o país saiu com o maior número de medalhas também foi após um ano olímpico. Na competição de Barcelona, em 2013, o país teve 10 pódios no total, com três medalhas de ouro, duas de prata, cinco de bronze e ainda o título de campeão geral de maratonas aquáticas.



Texto: Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA)

Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

 
Mais Artigos...
« InícioAnterior12345678910PróximoFim »

Página 1 de 2013

TRAVINHA TV

Banner
Banner

Newsletter


Fotos



Copyright © 2017 Travinha Esportes. Todos os direitos reservados.