Home Notícias Beisebol Metropolitan Baseball League 2019 busca desenvolver o beisebol no Brasil
0

Metropolitan Baseball League 2019 busca desenvolver o beisebol no Brasil

Metropolitan Baseball League 2019 busca desenvolver o beisebol no Brasil
0
0

Terceira rodada da Metropolitan Baseball League será neste sábado (09.02)

Já começou a edição 2019 da Metropolitan Baseball League. A terceira rodada da competição será neste sábado (09.02). Os jogos ocorrerão no campo de beisebol do Colégio Mackenzie em Alphaville –Tamboré a partir das 8h30.

Fórmula de disputa

Quatro times disputam a Metropolitan Baseball League 2019. A fórmula de disputa ocorre no formato todos contra todos. Sendo que os times se enfrentam duas vezes cada. A equipe que somar o maior número de vitórias será o campeão.

Com a primeira rodada tendo de ser adiada (ela será realizada ao final de todas as rodadas), a MBL 2019 iniciou no sábado passado com os confrontos da segunda rodada. No primeiro embate, o St. Louis Cardinals superou o New York Mets por 10 a 3. Já no outro, o Oakland Athletics fez 10 a 2 no Baltimore Oriole.

No próximo sábado (09.02), às 8h30 Baltimore Oriole enfrentará New York Mets. Às 10h30, será a vez de Oakland Athletics encarar St. Louis Cardinals.

Formato diferenciado

Metropolitan Baseball League - 2a rodadaA Metropolitan Baseball League tem o seu formato com moldes da Little League Baseball. Há o diferencial de que não são times que se inscrevem para participar, e sim os jogadores. As equipes, que recebem os nomes de times da Major League Baseball (MLB), são formadas por meio de sorteio e se encerram com o final do evento.

Thiago Ramos de Sousa, fundador da Metropolitan Baseball League, explica.

“Quis mostrar a todos um novo formato de competição, fora do que o público de beisebol no Brasil está acostumado. Quebrar paradigmas, mostrar que Menos é Mais. E que não é necessária a dependência de uma CBBS para fazer o beisebol crescer no Brasil”, afirma Thiago.

Dessa maneira, o objetivo principal, segundo Thiago, é a diversão por meio do beisebol.

“Cada jogador ganha um uniforme completo oficial (camiseta nike, calça Wilson e boné New Era) e seu compromisso é apenas chegar e jogar. Os times foram sorteados com jogadores iniciantes, intermediários e avançados juntos, todos equilibrados para dar bons jogos. O objetivo principal é celebrar e enaltecer o beisebol”.

Com essa visão, a MBL permite uma integração de diferentes atletas. Nessa edição, por exemplo, há duas meninas, dois meninos de 15 anos e um senhor de 60 anos jogando misturados.

Infraestrutura

Além de criador da MBL, Thiago Ramos é representante e Scout (olheiro) da equipe profissional do Houston Astros no Brasil. Investidor da modalidade, ele também construiu o campo em que acontecem as partidas. Junto ao Colégio Mackenzie, o espaço possui uma infraestrutura completa para os jogadores com vestiário, lanchonete, segurança e estacionamento em um local privado. Além disso, algumas características possibilitam muitos home runs.

“O taco é de madeira e o outfield é reduzido, possibilitando muitos Home Runs (tivemos 5 só na primeira rodada). No segundo semestre repetiremos a fórmula com quatro times diferentes da Major”, finaliza Thiago, já antecipando a próxima edição.

Mais informações sobre a MBL podem ser adquiridas no site oficial do torneio.

 

 

Texto e reportagem: Nathi Travinha
Fotos: Divulgação/MBL

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *