Home Notícias Beisebol Feriado de decisão do 3º Campeonato Catarinense de Beisebol
0

Feriado de decisão do 3º Campeonato Catarinense de Beisebol

Feriado de decisão do 3º Campeonato Catarinense de Beisebol
0
0

Final será entre Floripa Ichiban e Joinville Royals

Está chegando a hora. Nesta sexta-feira, feriado do dia 7 de setembro, tem a grande decisão do 3º Campeonato Catarinense de Beisebol. Enquanto o Floripa Ichiban busca o terceiro título consecutivo, o Joinville Royals tenta quebrar essa hegemonia. A final está marcada para as 12h. Antes, ainda, mais duas decisões: a do quinto lugar, às 8h, e a do terceiro, às 10h. Todas as partidas acontecem em Joinville.

Floripa Ichiban – o time a ser batido

Invicto na temporada, o Floripa Ichiban chega como favorito à final. Apesar da forte campanha dos atuais campeões e do retrospecto favorável – o  Floripa nunca perdeu para o Joinville – Walter Egídio Mukai,  membro do Grupo Gestor do Joinville Royals, acredita no seu time.

“O time de Floripa é o time a ser batido em SC, e esse favoritismo deles é fruto da organização, disciplina e qualidade. Estamos confiantes no nosso sucesso, treinamos para isso, 2018 será do Joinville Royals!”, afirma Mukai.

Por outro lado, Ralph Rodrigues de Oliveira – membro da comissão técnica e capitão da equipe – observa a responsabilidade do Ichiban e a melhoria dos adversários.

“Com certeza a maior responsabilidade é do Ichiban. O Joinville esse ano melhorou muito, se reforçaram. Deram o foco maior na parte de treinamento. E isso a gente vê pelos números do campeonato. Esse ano a gente não se enfrentou porque a gente estava em chaves diferentes, mas é nítido que eles melhoraram bastante. Então parabéns para a equipe que focou nos treinamentos. E é só dessa maneira, com treinamentos, que se consegue melhorar no esporte. Então parabéns para a equipe!”,  destaca Ralph.

Para tanto, a equipe de Joinville tem se preparado ao longo de 2018 com até três treinos semanais em um campo de uso exclusivo para o beisebol.  Entre os destaques do time, Mukai cita Alex Borges e Kehite Haida, atletas que já estiveram na seleção brasileira.

Já o Floripa acabou de voltar de Londrina, onde participou do Campeonato Brasileiro de Beisebol pela categoria B. E, segundo Ralph, apesar de não ter conseguido treinar como gostaria,  ele também tem confiança nos atletas . “Mas a maioria dos atletas é experiente, então acho que vão estar preparados para isso”, acredita Ralph.

 

Campanhas no 3º Campeonato Catarinense de Beisebol

Iniciado em abril, o 3º Campeonato Catarinense de Beisebol foi dividido em duas conferências: Sul e Norte. Enquanto na do Sul a marca foi o equilíbrio, com uma vitória para cada equipe, no Norte o Floripa mais uma vez mostrou sua dominância.

Tanto que o time da Capital assegurou a vaga para terceira etapa de forma antecipada. Já o Joinville teve duas vitórias e assim foi mais tranquilo para a fase final. Na terceira etapa outras duas equipes se sobressaíram: Blumenau e Itajaí. Com duas vitórias na Conferência Norte, Blumenau ficou em segundo e se classificou para a semifinal. O Itajaí garantiu a classificação com a vitória no confronto direto contra Brusque.O Royals também mostrou muita força na derrota para o Floripa. Por boa parte do jogo o Royals ficou à frente do placar.

O equilíbrio também marcou as semifinais. Jogando em casa, o Floripa Ichiban venceu o Blumenau Capivaras apenas nas entradas extras, e o Joinville venceu o Itajaí de virada.

A paridade entre os times e a qualidade dos jogos mostrou o desenvolvimento do beisebol em Santa Catarina. Na avaliação de Mukai o esporte está crescendo sim, mas para tanto, é preciso muito esforço por parte dos atletas e membros das equipes.

“Não podemos perder a esperança, mas a tarefa é árdua para fazer o beisebol mais conhecido. Ele vem crescendo no Estado, mas da mesma forma pode parar de crescer ou até mesmo diminuir, visto que seus custos são bancados pelos praticantes além da falta de espaço físico apropriado. Nós ‘possuímos um campo nosso’…mas o custo com a locação também é alto. Não só nós, mas outros times do estado possuem dificuldade em conseguir num espaço apropriado. Falta ao ente público e também ao privado ver o beisebol como instrumento educacional e social. Possuímos ótimos colégios e universidades, que poderiam montar um time de beisebol para seus alunos, nos moldes das escolas americanas, assim estariam preparando seus alunos para um bom intercâmbio também”, conclui.

 

Joinville Royals é finalista do Campeonato Catarinense de Beisebol 2018

 

 

Texto: Nathália Ely/Travinha Esportes
Foto: Divulgação

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *