Home Notícias Beisebol Waseda Tour de Beisebol no Brasil: 2ª parada é em Presidente Prudente
0

Waseda Tour de Beisebol no Brasil: 2ª parada é em Presidente Prudente

Waseda Tour de Beisebol no Brasil: 2ª parada é em Presidente Prudente
0
0

Serão dois jogos no domingo (05.08)

O time universitário do Waseda já está no Brasil. No país, umas das mais tradicionais equipes do Japão fará uma série de jogos amistosos. As partidas integram as comemorações dos 110 anos da imigração japonesa em solo brasileiro. A Waseda Tour inicia por Bastos. Serão dois jogos neste sábado (04.08). De lá, o Waseda segue para Presidente Prudente. Serão mais dois confrontos no domingo (05.08).

A primeira partida, às 9h será contra a equipe local. Já à tarde, às 14h, o embate será contra a Seleção Brasileira de Beisebol. O evento acontecerá no campo da Associação Cultural Agrícola e Esportiva de Presidente Prudente.

TODAS AS PARTIDAS  DA WASEDA TOUR SERÃO TRANSMITIDAS AO VIVO NA FANPAGE DO TRAVINHA ESPORTES.

Vamos conhecer um pouco da história então do clube que receberá a segunda parada do Waseda Tour. As informações foram divulgadas pela Federação Paulista de Beisebol e Softbol (FPBS).

 

Associação Cultural, Agrícola e Esportiva de Presidente Prudente (ACAE)

Data da fundação: 15 de janeiro de 1929 com o nome inicial de Associação Japonesa Unidas de Presidente Prudente “Rengo Nihonjinkai”.

O primeiro presidente foi o sr. Kametaro Morishita e o atual presidente é o sr. Yoshinori Yassuda.

No ano de 1962 a Associação Japonesa Unidas passou a se denominar Associação Cultural, Agrícola e Esportiva de Presidente Prudente (ACAE).

Chegada dos imigrantes

Com a chegada dos imigrantes japoneses no Brasil, os primeiros imigrantes se alojaram nas fazendas de cafés na região da Mogiana. Logo após alguns anos em cumprimento aos compromissos de trabalho, os imigrantes se aventuraram nas regiões da noroeste, paulista, sorocabana e norte do paraná.

Em 1920, calcula-se que na região da Alta Sorocabana, entre Pirapózinho, Alvares Machado, Indiana e Presidente Prudente e demais cidades, haviam de 3.500 a 3.700 famílias de imigrantes japoneses.

Na época existia, nas proximidades da Estação Ferroviária Sorocabana em Presidente Prudente, o hotel denominado Kataoka. Era nele que os colonos japoneses se hospedavam após horas de caminhadas em lombos de animais ou a pé, com saco amarrado no outro, um na frente e o outro nas costas. Caminhando, desta forma, de 10 a 30 km, e que dificilmente os colonos voltavam no mesmo dia para as fazendas de café Devido à grande distância que teriam que caminhar para retornar aos seus lares.

Nos meados dos anos de 1925 e 1926, após o jantar e jogando “shogui”, (quase idêntico ao jogo de dominó e cartas) e bebendo aguardente, surgiu a ideia entre que estavam hospedado no hotel, a necessidade de um pensionato para estudantes, sendo que a preocupação dos imigrantes era com a educação do filhos.

O sr. Kametaro Morishita uns dos presente na reunião, tomou a frente na ideia. Rumou para São Paulo para solicitar a colaboração do Consulado Japonês. Logo após o seu regresso recebeu a comunicação que seu pedido estava aprovado. Estava à disposição o valor de 6 contos de réis.

Início

A ACAE teve o seu início com a construção do pensionato e o campo de beisebol para estudantes da nossa colônia. Eles foram escavados com enxada e a terra carregada por duas pessoas em sacos e arrastados para o nivelamento. Serviços esses efetuados por vários voluntários e alunos que iriam se alojar no pensionato.

No patrimônio da colônia japonesa consta a construção do Colégio São Paulo como primeiro ginásio com curso secundário do interior.

Entre os anos de 1920 a 1970 se formaram na zona rural de Presidente Prudente várias colônias dedicadas à agricultura. Como o Sankio e Shocei em Montalvão, Yamato em Floresta do Sul, União e Gramado, Espigão e a Bela Vista – que era situado onde está localizado a Cohab,Cecap e Jardim Evereste e adjacências. Além dos trabalhos diários na agricultura, eram praticados vários esportes, como o beisebol e o judô. E na área cultural havia concursos de oratórias em língua japonesa e portuguesa, concursos de cantores de músicas populares japonesas e minyô (canto de musicas folclóricas japonesa) e danças folclóricas japonesas (odori) e taikô.

 

 

Texto: Nathália Ely/Travinha Esportes com Federação Paulista de Beisebol e Softbol (FPBS)
Fotos: Arquivo

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *