0

História do Polo Equestre

História do Polo Equestre
0
0

Considerado o “jogo dos príncipes”, o polo é um jogo muito antigo cuja origem é datada há 600 anos antes de Cristo, no Tibete, em um costume que ocorria algumas vezes ao ano que era a “caça ao rato almiscarado”.

Neste jogo, os caçadores iam a cavalo, carregando bastões para matar o animal. Porém, no verão, não havia ratos e o costume prosseguia utilizando-se os bastões para bater numa bola recoberta com pele, cuja forma moderna chamou-se de “Pulu”.

Os primeiros ocidentais a entrarem em contato com o jogo de polo foram soldados ingleses e civis que estavam servindo na Índia, no século IX. Eles aprenderam a jogar trabalhando em Manipur, um pequeno estado entre Assam e Burma, onde o polo era um jogo nacional e as pequenas vilas tinham o seu próprio time.

Em 1859 foi fundado pelos ingleses que moravam em Manipur, o primeiro clube de polo formado pelo capitão Robert Stewart, conhecido após este feito como o “Pai do Polo Moderno”.

Em 1870 o polo estava sendo muito praticado na Índia Britânica, em pequenos pôneis que não mediam mais do que 1,27m de altura.

O primeiro jogo de polo no Reino Unido foi em 1869, jogado por oficiais e foi chamado de “Hockey a cavalo”. Aos poucos o polo foi ficando mais popular e ganhou caráter mundial, principalmente na Argentina, onde se produzem ótimos cavalos para o jogo.

Em 1886, Inglaterra e Estados Unidos se enfrentaram pela primeira vez, no Troféu Westchester Club.

O polo esteve presente em cinco Jogos Olímpicos: 1900, 1908, 1920, 1924 e 1936. Nos Jogos Olímpicos de París, em 1924, e de Berlim, em 1936, a medalha de ouro foi alcançada pela seleção da Argentina.

O primeiro Campeonato Mundial de Polo foi realizado em 1987.

Atualmente o polo é praticado em mais de 50 países, tais como Argentina, Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Brasil, Chile, Austrália, entre outros.

 

 

 

O polo equestre no Brasil

O polo equestre começou a ser praticado no Brasil a partir da década de 1920, por imigrantes inglese, fazendeiros e militares brasileiros, principalmente no interior de São Paulo, onde até hoje tem grande expressão.

Sir Willian Prytman se destacou como principal figura do desenvolvimento do polo na cidade do Rio de Janeiro. Tanto que o primeiro campo de polo civil foi criada na Gávea Polo Club.

No Rio Grande do Sul, o polo foi trazido através dos “Hermanos” uruguaios e argentinos, além da preponderância do polo militar. O exército se destacou no polo sendo campeão estadual e nacional.

O primeiro campo da Sociedade Hípica Paulista, foi na sede de Pinheiros/SP. Com o passar do tempo, várias equipes foram se formando na região. Durante os anos de 1960, uma nova geração de jogadores surgia e substituía a antiga.

Em 28 de novembro de 1963, foi fundada a Federação Paulista de Polo. Com a organização do polo no país, o Brasil conseguia um feito na Copa Vargas, em Buenos Aires, sobre os argentinos forçando uma terceira partida. Algo inédito na época.

O Brasil passou a ser reconhecido mundialmente no final da década de 1960, quando as equipes de Rio Pardo, Toca e Sapezal, conseguiram, respectivamente, as conquistas da Copa Vargas, Alessandri e Mundialito de Polo. Graças a estes feitos, jogadores brasileiros foram convidados para atuar em outros países.

Um dos jogadores que obteve maior êxito fora do Brasil foi Silvio Junqueira Novaes, que além de atuar por várias temporadas na Inglaterra e ter feito oito gols de handicap, viu sua égua Elke ser premiada como melhor animal da temporada inglesa.

Após a fundação da Federação Internacional de Polo, começou a ser disputado o Campeonato Mundial de Polo. O Brasil sagrou-se três vezes campeão e uma vez vice.

Outro fato curioso do esporte ocorreu na visita do príncipe Charles (FOTO ACIMA) ao Brasil, em 1978. O herdeiro da coroa inglesa e grande entusiasta do esporte disputou alguns jogos em equipes civis e militares, em partidas em São Paulo e Brasília.

Atualmente o Brasil detém três títulos mundiais, mesmo número de conquistas da Argentina. Praticam o esporte apenas pessoas da elite, grandes empresários ricos e milionários como Ricardo Mansur (foto acima), André e Fábio Diniz, João Paulo Ganon, José Eduardo Matarazzo Kalil e tantos outros que integram a lista de quase 500 polistas brasileiros e sustentam um luxo destinado a poucos.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– SITE: Federação Internacional de Polo – http://www.fippolo.com/
– SITE: Federação Paulista de Polo – http://www.fppolo.com.br/
– SITE: Asociación Argentina de Polo – http://www.aapolo.com/
– SITE: Claudemir Siquini (Grupo Siquini) – http://www.siquini.com.br/
– SITE: Helvetia Pólo Country Club – http://www.helvetiapolo.com.br/
– SITE: Santa Helena Pólo Farm – http://www.polosantahelena.com.br/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 2 =