0

História do Balonismo

História do Balonismo
0
0

Linha do tempo: fatos e curiosidades da história do balonismo

– Em 1709, o padre brasileiro Bartolomeu Lourenço de Gusmão conseguiu em Lisboa, Portugal, que o seu balão (chamado de passarola), se elevasse a quatro metros de altura na terceira tentativa e diante do rei D. João V e toda sua corte. Como na primeira tentativa a “passarola” havia pegado fogo, foi destruída por dois guardas, receosos de que o padre voador provocasse um incêndio no palácio. O experimento de Bartolomeu de Gusmão ficaria para a história como o primeiro voo promovido pela engenharia humana.

 

 


– Antes de tudo isso acontecer, existe uma teoria de que os índios Nazca, do Peru, teriam feito um balão com fibras vegetais existentes naquela região e que teriam sobrevoado o deserto de Nazca. As provas desse feito estão em peças de cerâmica datadas do ano 500 que estão hoje em um Museu na cidade de Lima.

 

 


– O primeiro voo efetivamente reconhecido e aceito como o primeiro voo em balão, foi realizado pelos irmãos franceses Joseph e Jacques Montgolfier, primeiramente ao fazerem subir um engenho em 1783. Meses depois, os irmãos lançaram outro tripulado por um carneiro, um pato e um galo que retornaram ao solo em perfeitas condições.

 

 


– O primeiro balão feito pelos irmãos franceses Joseph e Jacques Montgolfier, era na verdade um grande saco de linho com ar aquecido que eles soltaram na praça de sua cidade natal, Vidalon-les-Annonay e este balão subiu a 45 metros de altura percorrendo cerca de 2,4 quilômetros em 10 minutos. Já o segundo balão foi feito a base de culose e fibras vegetais. O curioso é que encheram o balão de fumaça acreditando que este fluído fazia o balão se elevar, quando na verdade era o ar quente.

 

 


– Ainda em 1783, o professor e membro da Academia Francesa Jacques A. Charles (foto acima) descobriu um novo tecido, a base de seda e borracha capaz de conter gás. Ele então voou por duas horas e meia a uma altura de mais de 250 metros, por cerca de 40 quilômetros em um balão de gás hidrogênio.

 

 


– Em 1784, Joseph Montgolfier voava no maior balão tripulado até então construído, com capacidade de 20.000 m³. A partir deste feito, o balonismo conquistava de vez os céus.

 

 


– O primeiro voo realizado na Inglaterra ocorreu em 1784 e foi capitaneado pelo italiano Vicente Lunardi (foto acima), que ficou no ar durante 1 hora e 40 minutos e foi recebido com herói pelo Rei George III.

 

 


– Em 1785 atravessava pela primeira vez o Canal da Mancha, o balão do francês Jean-Pierre Blanchard e do norte-americano John Jeffries. Mais tarde, Blanchard se encarregaria de divulgar o novo meio de transporte pela Europa. Oito anos depois, o francês voou pela primeira vez de balão em território norte-americano, na Philadelphia, com a presença de George Washington.

 

 


– Em 1786 foi realizado o primeiro voo noturno de balão, na França, da capital Paris até Breteuil.

 

 


– Em 1798 foi realizada em Paris, na França, a primeira ascensão exclusivamente feminina de balão, por Mlle. Labrosse e Mlle. Henry.

 

 


– Em 1858 foram tiradas as primeiras fotografias aéreas de um balão, por Nadar, em Petit-Bicêtre, na França.

 

 


– Em 1867 ocorreu o primeiro voo de balão no Brasil pro dois americanos, J. e E. Allen. Neste mesmo ano, foi utilizado aqui no Brasil um balão seria utilizado na Guerra do Paraguai pelo exército Imperial para observar as linhas paraguaias no dia 24 de junho.

 

 


– Em 1870 foi registrado o primeiro serviço postal aéreo, entre Paris e La Província, constituído por 66 balões postais.

 

 


– Em 1884, o brasileiro Júlio Cézar Ribeiro de Souza (foto acima) patenteou em Paris o dirigível Victória (subvencionado pela Assembléia de sua província, região que corresponde ao atual Estado do Pará), que voou contra o vento e em linha reta. A primeira ascensão do Victoria ocorreu em 8 de novembro de 1881.

 

 


– Em 1893, Augusto Severo de Albuquerque Maranhão construiu, em Paris, um dirigível com o nome de “Bartholomeu de Gusmão”.

 

 


– No dia 4 de julho de 1898, Alberto Santos Dumont (foto acima) elevou-se aos céus em um balão, chamado de Brasil, que tinha 6 metros de diâmetro, invólucro de seda japonesa envernizada e capacidade de 113 m³ de gás e um peso de apenas 14 quilos.

 

 


– Em 1900 houve a primeira ascensão de um Zeppelin, dirigível rígido.

 

 


– Em 1901, na França, o pai da aviação brasileira, Alberto Santos Dumont, com o seu dirigível número 3, partiu de Vaugirard e foi em direção ao campo de Marte. Com o dirigível número 6 ele deu a volta na Torre Eiffel, no dia 19 de outubro do mesmo ano, o que fez com que ganhasse o Prêmio Deutsch de La Meurthe, de 125 mil francos.

 

 


– Em 1953 o norte-americano Ed Yost inventou o moderno balão movido a ar quente. Neste ano construiu um balão de 230 m³ que voasse com o auxílio de um maçarico como nos dias de hoje.

 

 


– Em 1960 foi realizado o primeiro voo livre com um balão de 800 m³, cujo ar era aquecido pelo fogo alimentado pelo gás propano. A partir daí começa o balonismo como desporto.

 

 


– Em 1963 o Canal da Mancha foi atravessado pela primeira vez com um balão de ar quente. Com a introdução do balão na Europa, no mesmo ano foi realizado o primeiro campeonato de balonismo.

 

 


– Em 1970 o balonismo chegou ao Brasil através do industrial Victorio Truffi (foto acima) que fez um voo de 40 minutos na cidade de Araraquara, em São Paulo. Ele foi o primeiro piloto brasileiro a ter autorização de voo em balões e fundou o clube paulista de balonismo.

 

 


– A partir do ano de 1973, com a realização do primeiro Campeonato Mundial, o balonismo cresceu em todo o planeta.

 

 


– Em 1998 aconteceu o primeiro campeonato Brasileiro de Balonismo em Casa Branca, São Paulo.

 

 


– Atualmente, o balonismo promove diversos festivais e competições no Brasil e no Mundo. Aqui no Brasil, destaque para o Festival Internacional de Torres, no litoral do Rio Grande do Sul. A cidade de Torres ostenta o título de capital brasileira do balonismo e promove o evento anualmente entre os meses de abril e maio.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
– SITE: JK Balonismo – http://www.jkbalonismo.com.br/
– SITE: Confederação Brasileira de balonismo – www.balonismo.org.br
– SITE: Federação Paulista de Balonismo – http://www.fpbalonismo.org.br/
– SITE: Federação de Balonismo do Estado do Rio de Janeiro – http://www.fberj.org.br/
– SITE: Federação Aeronáutica Internacional (Ballooning Comission) – http://www.fai.org/ballooning/
– SITE: Cidade de Torres (Festival Internacional de Balonismo) – www.torres.rs.gov.br
– SITE: Blog Balonismo – http://www.blogbalonismo.blogspot.com/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

29 − 22 =