Home História dos Esportes Outros Oficiais Pelota Basca História e Regras da Pelota Basca
0

História e Regras da Pelota Basca

História e Regras da Pelota Basca
0
0

Um passeio pela história

Com origens desde a Idade Média, no continente europeu, e que teve um grande crescimento na França, no final do século XVIII, podemos afirmar que foram os franceses os grandes precursores da Pelota Basca. Mais tarde o esporte ganhou força na Espanha, tornando-se junto com a França, os países mais fortes neste esporte.

Dentre as mais diversas modalidades que existem de Pelota Basca (ver mais abaixo), o final do século XIX é que marca o começo do profissionalismo deste esporte.

Por volta da década de 1920, algumas competições começaram a ser realizadas na Europa, mais especificamente, na França. Em 1924, a Pelota Basca entrou como esporte de exibição nos Jogos Olímpicos de Paris. Em 1929, foi criada a Federação Internacional de Pelota Basca, contudo, devido a Segunda Guerra Mundial, a primeira competição internacional foi realizada somente em 1952, com o Primeiro Campeonato Mundial da modalidade.

Atualmente a Pelota Basca é praticada em várias partes do mundo. Na Europa, os países com maior número de jogadores são a Espanha, França, Itália, Bélgica e Holanda. Na América do Sul temos o Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Venezuela, Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru. Na América do Norte, Estados Unidos, Canadá e México. Na América Central e na Ásia, a Pelota Basca não é muito praticada, porém, está em fase de crescimento.

 

 

 

As modalidades da Pelota Basca

Logo abaixo, vamos conhecer as oito modalidades de Pelota Basca existentes. A intenção não é que você se torne perito nas regras destas modalidades, mas sim, tenha uma noção de como são cada uma delas. Para saber detalhes das regras acesse os links dos sites das Federações que estão disponíveis no final desta seção.

 

 

Cesta Punta

Também conhecida como Jai-alai, o Cesta Punta é a modalidade da pelota basca em que a bolinha atinge maior velocidade (até 300 km/h).

Praticado em uma quadra de 54 metros de comprimento, o Cesta Punta é jogado tanto em duplas quanto individual.

Cada jogador usa na mão um instrumento em formato de uma cesta (foto abaixo) que serve para pegar e arremessar a bolinha no fronte (parede frontal). Esta cesta (foto acima) é feita de madeira de castanha tecida com vime. Ela possui um tamanho que varia de 90 centímetros a 1 metro de comprimento com a curvatura e a profundidade da cesta variando entre 15 e 16 centímetros. Já a pelota (bolinha) pesa de 115 a 130 gramas e possui um diâmetro que varia de 63 a 64 centímetros.

As regras básicas do Cesta Punta são:

– em partidas oficiais são disponibilizadas seis bolinhas para a seleção dos jogadores, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola de jogo antes do saque;

– uma equipe perde o ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; se a bolinha não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bolinha tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– no saque, quando a bola toca no piso depois da linha de “passa”, o saque é invalidado, porém, a equipe que sacou tem direito a mais uma oportunidade de realizar novamente o saque;

– cada partida tem uma duração de 35 pontos (duplas) e de 25 (individual);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

Mano

Na modalidade mais antiga da Pelota Basca, os jogadores não se utilizam de nenhum instrumento para bater na pelota (bolinha), apenas as mãos.

Existem dois tipos de quadra em que são realizadas as partidas de pelota mano. Com trinquete (foto 2) e sem trinquete (foto 1). O trinquete é uma janela com grade que fica no canto esquerdo da quadra. A diferença para uma quadra que não possui trinquete é que a bolinha pode picar um número ilimitado de vezes sobre este “telhadinho” até ser rebatida para o fronte pelo jogador, ou seja, facilita mais para que os jogadores consigam buscar a bolinha do que em uma quadra sem o trinquete.

As regras básicas do Mano são:

– quatro bolinhas (individual) e seis bolinhas (duplas) são disponibilizadas para a seleção dos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola do jogo antes de sacar;

– uma equipe perde ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; a bola não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bola tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– quando a bola tocar o piso depois da linha de “passa” após a realização de um saque, ele é invalidado, porém, a equipe que sacou tem mais uma tentativa (não se aplica com Trinquete);

– a partida tem duração de 22 pontos (individual), 40 pontos (individual trinquete) e 50 pontos (duplas e duplas trinquete);

– a bola pode picar inúmeras vezes sobre o trinquete;

– se a bola picar no piso e depois bater na grade do trinquete, o ponto será da equipe que fez a jogada, caso contrário o ponto vai para a equipe adversária (no trinquete);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

Xare

A modalidade Xare (ou Share) se destaca pelo tipo de equipamento que é utilizado para a prática do jogo: uma espécie de raquete com um aro de madeira e corda trançada de maneira muito simétrica e não muito firme que tem como nome Xare (ou Share).

No Xare, a quadra para a prática do jogo é com a utilização do trinquete (foto acima).

As regras básicas do Xare são:

– seis bolinhas são disponibilizadas para a seleção dos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola do jogo antes de sacar;

– uma equipe perde ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; a bola não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bola tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– a partida tem duração de 40 pontos (individual/duplas);

– a bola pode pingar inúmeras vezes sobre o trinquete;

– se a bola bater no piso e depois bater na grade do trinquete, o ponto vai para a equipe que fez a jogada, caso contrário o ponto será da equipe adversária;

– o saque deve ser feito da esquerda para a direita respeitando a linha longitudinal que divide a quadra em duas partes desiguais;

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

– a bolinha não pode ficar retida no xare (raquete) durante a realização de uma jogada.

 

 

 

Pala Corta

O Pala Corta se destaca também das demais modalidades de Pelota Basca através do instrumento que é utilizado para a batida da bolinha. Uma espécie de taco, porém, com uma ponta mais larga, preferencialmente feita de madeira de haya ou então de madeira nobre.

Nesta modalidade, a quadra utilizada é sem trinquete e seu comprimento total é de 36 metros (foto acima).

As regras básicas do Pala Corta são:

– em partidas oficiais são disponibilizadas seis bolinhas para a seleção dos jogadores, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola de jogo antes do saque;

– uma equipe perde o ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; se a bolinha não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bolinha tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– no saque, quando a bola toca no piso depois da linha de “passa”, o saque é invalidado, porém, a equipe que sacou tem direito a mais uma oportunidade de realizar novamente o saque;

– cada partida tem uma duração de 40 pontos (individual/duplas);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

Paleta Cuero

Esta é a segunda modalidade mais antiga da Pelota Basca, perdendo apenas para a Mano. Apesar de ser muito semelhante com a Pala Corta, a raquete se diferencia por ter uma ponta mais larga que a da modalidade citada e também pela bolinha ser menor e com menos peso, sendo inclusive, a bolinha mais leve de todas as modalidades de Pelota Basca.

Acima conseguimos identificar os tipos de quadras que é praticada a Paleta Cuero, porém, percebemos que a quadra que possui trinquete (foto 2) tem medidas diferentes da que não possui trinquete (foto 1).

As regras básicas do Paleta Cuero são:

– seis bolinhas são disponibilizadas para a seleção dos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola do jogo antes de sacar;

– uma equipe perde ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; a bola não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bola tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– quando a bola tocar o piso depois da linha de “passa” após a realização de um saque, ele é invalidado, porém, a equipe que sacou tem mais uma tentativa (não se aplica com Trinquete);

– a partida tem duração de 35 pontos (individual/duplas sem trinquete) e 40 pontos (individual/dupla com trinquete);

– a bola pode picar inúmeras vezes sobre o trinquete;

– se a bola picar no piso e depois bater na grade do trinquete, o ponto será da equipe que fez a jogada, caso contrário o ponto vai para a equipe adversária (no trinquete);

– o saque deve ser feito da esquerda para a direita respeitando a linha longitudinal que divide a quadra em duas partes desiguais (no trinquete);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

Paleta Goma

Nesta modalidade de Pelota Basca, a raquete e a bolinha de borracha são muito parecidas com a do frescobol. A Paleta Goma é a modalidade mais praticada no mundo e tanto homens quanto mulheres jogam esta modalidade.

Os jogos são realizados em quadras com trinquete (foto 2) e sem trinquete (foto 1) variando suas medidas de uma para a outra.

As regras básicas do Paleta Goma são:

– seis bolinhas são disponibilizadas para a seleção dos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola do jogo antes de sacar;

– uma equipe perde ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; a bola não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bola tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– a partida tem duração de 35 pontos (individual/duplas sem trinquete) e 40 pontos (individual/dupla com trinquete);

– a bola pode picar inúmeras vezes sobre o trinquete;

– se a bola picar no piso e depois bater na grade do trinquete, o ponto será da equipe que fez a jogada, caso contrário o ponto vai para a equipe adversária (no trinquete);

– o saque deve ser feito da esquerda para a direita respeitando a linha longitudinal que divide a quadra em duas partes desiguais (no trinquete);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

Frontenis

No Frontenis, assim como no Paleta Goma, tanto homens quanto mulheres podem praticar o esporte profissionalmente. A diferença desta modalidade para as demais é que a Raquete é a mesma usada no Tênis, porém, com um encordoamento mais reforçado. Já a bolinha é semelhante àquelas que utilizamos no jogo de taco.

A quadra de Frontenis possui as mesmas medidas que a da Paleta Goma, porém, é jogado apenas em quadras sem trinquete.

As regras básicas do Frontenis são:

– em partidas oficiais são disponibilizadas seis bolinhas para a seleção dos jogadores, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola de jogo antes do saque;

– uma equipe perde o ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; se a bolinha não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bolinha tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– no saque, quando a bola toca no piso depois da linha de “passa”, o saque é invalidado, porém, a equipe que sacou tem direito a mais uma oportunidade de realizar novamente o saque;

– cada partida tem uma duração de 30 pontos (duplas) e de 25 (individual);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte.

 

 

 

Joko Garbi

Como o próprio significado do nome diz “jogo limpo”, o Joko Garbi difere do Cesta Punta por não permitir que a bolinha fique retida na cesta.

O Joko Garbi é praticado em uma quadra (foto acima) parecida com a do Cesta Punta, porém, o seu comprimento é um pouco menor, medindo 36 metros.

A pelota utilizada neste jogo é a mesma do Cesta Punta, porém, a cesta utilizada no Joko Garbi é um pouco menor.

As regras básicas do Joko Garbi são:

– seis bolinhas são disponibilizadas para a seleção dos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece três bolinhas;

– antes de cada saque, o sacador deve avisar a equipe adversária;

– a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola do jogo antes de sacar;

– uma equipe perde ponto no saque quando: ele não for finalizado; for realizado fora dos limites da quadra; a bola não ultrapassar a linha de “falta”; e se a bola tocar em qualquer chapa delimitadora de jogo;

– quando a bola tocar o piso depois da linha de “passa” após a realização de um saque, ele é invalidado, porém, a equipe que sacou tem mais uma tentativa;

– a partida tem duração de 40 pontos (individual/duplas);

– a bola pode tocar no piso uma única vez antes de um dos jogadores da equipe realizar a jogada;

– após ter picado uma vez, a bolinha não pode picar novamente no piso após a rebatida sem que antes atinja o fronte;

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– SITE: Federação Internacional de Pelota Basca – http://www.fipv.net/es
– SITE: Federação Espanhola de Pelota Basca – http://www.fepelota.com/
– SITE: Federação Francesa de Pelota Basca – http://www.ffpb.net/
– Pelota Basca Brasil (site brasileiro sobre o esporte) – http://www.pelotabasca.com.br/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *