Copa do Mundo 1934: Itália

Copa do Mundo 1934: Itália
0
0

A escolha da Itália como país sede

Antes de começarmos a falar da Copa do Mundo de 1934, na Itália, podemos juntos afirmar que esta edição do mundial pegou o futebol para promover uma propaganda política. O responsável: Benito Mussolini (foto abaixo).

Era o ano de 1929 e a Itália já organizava, um ano antes da Copa do Mundo de 1930, no Uruguai, a sua primeira competição nacional. O cálcio (como é chamado o futebol na Itália) havia ultrapassado o ciclismo em número de praticantes e se tornado um sucesso no país. O ditador Benito Mussolini, que de bobo não tinha nada, percebeu isto e viu no futebol a chance de sua autopromoção. Com isso, um ano antes da realização da Copa de 1930, ele já havia percebido que haveria mais uma edição do mundial e, com isso, começou a preparar o país para ser a sede da Copa do Mundo colocando a Itália como pré-candidata e já começando as obras de infra-estrutura para receber o evento em 1934.

Em 1932, Duce (como era chamado Mussolini) percebeu que a Itália não seria o único concorrente para sediar a Copa. A Suécia também tinha entrado no páreo porque percebeu que um evento destes no país poderia ser muito lucrativo. Com isso, no dia 13 de maio de 1932, a Fifa viu-se obrigada a tomar uma decisão, em Estocolmo, na Suécia, em um congresso realizado pela entidade. A Suécia, no fim da contas, acabou desistindo de concorrer como país sede e a Itália foi a escolhida.

No dia 8 de outubro de 1932, em Zurique, na Suíça, alguns meses após o congresso, a Itália era oficializada pela Fifa como país que iria receber a segunda edição da Copa do Mundo de Futebol e Mussolini viu as portas abertas para a divulgação do regime fascista.

 

 

 

Os estádios da Copa

Foram oito estádios no total que receberam as partidas da Copa do Mundo de 1934. Veremos abaixo, quais são eles.

 

Stadio Littoriale

Atualmente chamado de Renato Dall’Ara, o estádio que na época tinha o nome de Littoriale, fica localizado na cidade de Bologna e foi construído em 1927. Em 1934, o estádio acomodava 38 mil espectadores, sendo que, hoje, sua capacidade é para 39.444 espectadores. Este estádio pertence ao clube de futebol do Bologna.

 

 

Stadio Giovanni Berta

Atualmente chamado de Artemio Franchi, o estádio que na época se chamava Giovanni Berta, fica localizado na cidade de Florença e foi construído em 1931. Em 1934 o estádio tinha capacidade para receber 40 mil espectadores, sendo que, hoje, sua capacidade é para 47.300 espectadores. Esta é a casa do clube de futebol da Fiorentina.

 

 

Stadio Marassi

Atualmente com o nome de Luigi Ferraris, o estádio Marassi (chamado assim na época), fica localizado na cidade de Gênova e foi inaugurado em 1911. Em 1934, a sua capacidade era para 34 mil espectadores. Hoje o estádio tem lugar para 36.536 espectadores. Esta é a casa do clube de futebol do Sampdoria.

 

 

Stadio Calcistico San Siro

Conhecido como a casa do Milan (San Siro) e também da Internazzionale de Milão, porém, com outro nome quando a Inter é a mandante (Giuseppe Meazza), o estádio foi inaugurado em 1926 e fica localizado na cidade de Milão. Em 1934 sua capacidade era para 35 mil espectadores. Atualmente, o estádio aumentou esta capacidade para 82.955 espectadores.

 

 

Stadio Giorgio Ascarelli

Inaugurado em 1934, o estádio Giorgio Ascarelli ficava localizado na cidade de Nápoles e tinha capacidade para 40 mil espectadores. Foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial.

 

 

Stadio Nazionale PNF

Inaugurado em 1927, o estádio Nazionale PNF (Partido Nacional Fascista) ficava localizado na cidade de Roma e tinha capacidade para acomodar 47.300 espectadores. Foi demolido em 1953.

 

 

Stadio del Littorio

Construído em 1932, o estádio Littorio ficava localizado na cidade de Trieste e tinha capacidade para 15 mil espectadores. Danificado pela Segunda Guerra Mundial, acabou sendo demolido em 1958.

 

 

Stadio Benito Mussolini

Atualmente chamado de Stadio Olímpico de Turim, o estádio fica localizado na cidade de Turim. Na época, o estádio tinha capacidade para acomodar 40 mil espectadores e teve este número reduzido atualmente para 27.128. Esta é a casa do clube de futebol do Torino.

 

 

 

As eliminatórias para a Copa

Devido ao regulamento firmado em 1931 pela Fifa em que a Copa do Mundo teria apenas 16 vagas, a entidade obrigou-se a elaborar um sistema de eliminatórias. Isto porque dos 45 países filiados à Fifa na época, 32 haviam se inscrito para o mundial.

O Uruguai, magoado pela ausência de grandes países na edição de 1930, como por exemplo, a Itália, acabou não se inscrevendo para a Copa de1934 assim como a Inglaterra, que ainda não continuava vendo a competição como critério para definir a melhor seleção do mundo, já que eles (os ingleses) se consideravam os melhores.

 

A competição eliminatória foi realizada na seguinte maneira. Os países foram divididos em 12 grupos e foram separados por critérios geográficos. Cada grupo classificava um ou dois países. Os grupos europeus com três equipes classificavam duas para o mundial. Os demais classificavam apenas um país. A própria Itália, que era o país sede, teve que disputar as eliminatórias.

 

 

 

Os países classificados

Abaixo, vamos conferir quem foram as 16 seleções classificadas para a Copa do Mundo após as eliminatórias.

 

Itália

Participante do grupo 3 das eliminatórias junto com a Turquia e a Grécia, a Itália (país-sede) acabou se classificando para a Copa após a vitória sobre a Grécia por 4 a 0 e também pela desistência da Turquia.

 

 

Suécia

Participante do grupo 1 das eliminatórias, a Suécia se classificou para a Copa após vencer os dois jogos contra o único concorrente do grupo que era a seleção da Lituânia. Os placares foram 6 a 2 na partida realizada na Suécia e 2 a 0 na partida realizada na Lituânia.

 

 

Espanha

Participante do grupo 2 das eliminatórias, a Espanha tinha como adversário apenas a seleção de Portugal. Os espanhóis venceram as duas partidas contra os portugueses. Na primeira partida realizada na Espanha, vitória por 9 a 0. No segundo jogo, em Portugal, o resultado foi 2 a 1 para os espanhóis.

 

 

Hungria

Participante do grupo 4 das eliminatórias, a Hungria tinha como adversários a Bulgária e a Áustria. Os húngaros venceram as duas partidas contra a Bulgária por 4 a 1 e nem precisaram enfrentar a Áustria (outra classificada deste grupo) pois a Bulgária acabou desistindo da competição.

 

 

Áustria

Também participante do grupo 4 junto com a Bulgária e a Hungria, jogou apenas uma partida que foi contra a Bulgária, no qual venceu pelo placar de 6 a 1. Por desistência dos búlgaros, a Áustria acabou se classificando junto com a Hungria para a Copa.

 

 

Tchecoslováquia

Participante do grupo 5 das eliminatórias da Copa junto com a Polônia, a Tchecoslováquia conquistou sua classificação vencendo as duas partidas. A primeira, jogando na Polônia, foi pelo placar de 2 a 1. A segunda, jogando em casa, foi pelo placar de 2 a 0.

 

 

Suíça

Participante do grupo 6 das eliminatórias da Copa junto com Romênia (outra classificada do grupo) e Iugoslávia, a Suíça conseguiu sua classificação como primeira colocada do grupo vencendo a sua partida contra a Romênia pelo placar de 2 a 0 e empatando com a Iugoslávia em 2 a 2.

 

 

Romênia

Participante do grupo 6 das eliminatórias da Copa junto com a Suíça (outra classificada do grupo) e a Iugoslávia, a Romênia conseguiu sua classificação como segunda colocada do grupo perdendo uma partida de 2 a 0 para a Suíça e depois vencendo a Iugoslávia pelo placar de 2 a 1.

 

 

Holanda

Participante do grupo 7 das eliminatórias da Copa junto com a Bélgica (outra classificada do grupo) e a Irlanda, a Holanda conquistou sua classificação como primeira de seu grupo após vencer a partida contra a Irlanda por 5 a 2 e também na vitória contra a Bélgica pelo placar de 4 a 2.

 

 

Bélgica

Também participante do grupo 7 das eliminatórias para a Copa junto com a Holanda (outra classificada do grupo) e a Irlanda, a Bélgica conquistou sua vaga na segunda colocação com um empate contra a Irlanda em 4 a 4. A derrota para a Holanda por 4 a 2, não eliminou o time já que a Irlanda tinha um saldo pior de gols (-3 contra -2).

 

 

Alemanha

Participante do grupo 8 das eliminatórias da Copa junto com Luxemburgo e França (outra classificada do grupo), a Alemanha conseguiu sua classificação jogando apenas uma vez. Vitória por 9 a 1 contra Luxemburgo, não sendo necessário um confronto contra a França.

 

 

França

Também participante do grupo 8 das eliminatórias da Copa junto com Luxemburgo e Alemanha (outra classificada do grupo), a França, assim como a seleção alemã, jogou apenas uma partida para garantir a sua classificação. Venceu Luxemburgo pelo placar de 6 a 1 e como Luxemburgo já tinha duas derrotas, não foi preciso um confronto contra a Alemanha, uma vez que os dois já estavam classificados.

 

 

Brasil

Participante do grupo 9 das eliminatórias da Copa junto com a seleção do Peru, o Brasil conseguiu a sua classificação sem jogar nenhum jogo. A seleção peruana acabou desistindo das eliminatórias.

 

 

Argentina

Participante do grupo 10 das eliminatórias da Copa junto com o Chile, a Argentina também conseguiu sua classificação sem precisar jogar, pois os chilenos desistiram das elminatórias.

 

 

Estados Unidos

Três países faziam parte do grupo 11 das eliminatórias para a Copa: México, Cuba e Haiti. Quem havia conseguido a classificação tinha sido o México. Acontece que, os Estados Unidos que haviam desistido de participar da Copa em 1933, acabaram voltando atrás em 1934. A Fifa, para agradar os norte-americanos, agendou uma partida, três dias antes do início do mundial, que foi chamada de Pré-Copa. Com isso, o México, que havia conseguido a classificação no campo, teve que enfrentar os Estados Unidos. Resultado: Estados Unidos 4 x 2 México e os mexicanos acabaram fora da Copa do Mundo, dando o lugar para os Estados Unidos.

 

 

Egito

Participante do grupo 12 das eliminatórias da Copa junto com a Palestina, o Egito conquistou a sua vaga após vencer as duas partidas contra os palestinos. Vitória no Egito por 7 a 1 e vitória na Palestina pelo placar de 4 a 1.

 

 

 

A preparação da seleção brasileira para a Copa

Após a Copa de 1930, quando a seleção brasileira teve só jogadores cariocas convocados devido a problemas políticos, a copa de 1934 parecia que ia ser diferente, mas não foi.

No início da década de 1930, após o mundial no Uruguai, a seleção brasileira até chegou a realizar partidas amistosas e competições com uma seleção formada por atletas paulistas e cariocas. Inclusive, a Copa Rio Branco de 1931, um torneio criado pelo governo uruguaio para aproximar os dois países, foi vencido pela seleção brasileira, com uma vitória sobre os uruguaios por 2 a 0, no estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro. A seleção uruguaia tinha sete dos 11 titulares em campo da Copa de 1930.

Nesta competição, um jovem zagueiro de 18 anos chamou a atenção jogando pela seleção brasileira. Este jovem era ninguém menos que Domingos da Guia (foto acima).

Contudo, a Revolução Constitucionalista de 1932, que era a guerra que os paulistas promoveram para tentar derrubar o governo Getúlio Vargas, teve início em 9 de julho e terminou com a rendição de São Paulo no dia 2 de outubro. Esta guerra provocou diversos prejuízos para o futebol brasileiro. O campeonato paulista havia sido paralisado e os jogadores que atuavam no estado, participaram da guerra. Com isso, a seleção estava completamente desmantelada e desacreditada pelo povo brasileiro.

Antes da Revolução de 1932, uma revanche havia sido marcada pelos uruguaios, no estádio Centenário, em Montevidéu, na nova edição da Copa Rio Branco. A seleção brasileira, treinado pelo então treinador, Luís Vinhaes, devido à guerra, contou apenas com jogadores do estado do Rio de Janeiro. Eles atuavam pelos clubes como Fluminense, Botafogo, Vasco, São Cristóvão, Bonsucesso e o já extinto Carioca e Brasil. A certeza de que uma derrota era certa por parte dos brasileiros, porém, contra todas as apostas, o Brasil venceu a seleção uruguaia pelo placar de 2 a 1 em pleno estádio Centenário.

O autor dos dois gols da seleção brasileira foi marcado por um garoto de 19 anos chamado, Leônidas da Silva (foto acima), que jogava pelo Bonsucesso.

Comandada pela antiga CBD (Confederação Brasileira de Desportes), o futebol no Brasil passou por uma mudança em 1933. O esporte que antes era praticado por atletas amadores, passou a ser profissional, ou seja, a melhor solução para montar uma boa equipe para a Copa seria pagar aos clubes para ter os melhores jogadores. Era uma espécie de contrato para a Copa do Mundo. Alguns jogadores não foram liberados, como é o caso de Domingos da Guia, que na época, atuava pelo Nacional do Uruguai e o clube queria 45 contos de réis para liberar o jogador, dinheiro este considerado inviável para a época, e Domingos acabou sendo descartado.

Com isso, no dia 12 de maio, os 17 jogadores convocados para a Copa, embarcaram para a Itália no navio Biancamano (foto acima). No dia 23 de maio, a seleção brasileira, após chegar de viagem, realizou apenas um treinamento antes da estreia.

Abaixo, vamos conferir quem foram os 17 jogadores convocados do Brasil para a Copa do Mundo e seus respectivos clubes pelos quais atuavam.

– Goleiros: Roberto Gomes Pedrosa (Botafogo) e Germano (Botafogo).

– Zagueiros: Sylvio Hoffman (São Paulo da Floresta), Luiz Luz (Grêmio) e Octacílio (Botafogo).

– Meio-campistas: Tinoco (Vasco), Martin (Botafogo), Canalli (Botafogo), Ariel (Botafogo) e Waldir (Botafogo).

– Atacantes: Luizinho (São Paulo da Floresta), Waldemar de Brito (São Paulo da Floresta), Armandinho (São Paulo da Floresta), Leônidas da Silva (Vasco), Patesko (Nacional do Uruguai), Carvalho Leite (Botafogo) e Átila (Vasco).

 

 

 

O regulamento da copa do Mundo

Por ter aumentado o número de participantes na Copa do Mundo, após as eliminatórias que classificaram os países, o regulamento ficou da seguinte maneira.

Dezesseis países disputavam em partida única e o vencedor do jogo seguia adiante até a final. Ou seja, a Copa do Mundo não tinha a famosa fase de grupos. Ela começava direto nas oitavas-de-final e depois seguia com as quartas-de-final, semifinal, disputa de terceiro lugar e final. Este era o regulamento da Copa do Mundo de 1934.

 

 

 

As oitavas-de-final

O sorteio que definiram dos confrontos da Copa do Mundo, ocorreu no dia 3 de maio de 1934, em Roma. As oito equipes consideradas as mais fortes, foram as cabeças de chave: Alemanha, Argentina, Áustria, Brasil, Holanda, Hungria, Itália e Tchecoslováquia.

Com isso, veremos logo abaixo, como ficaram os confrontos das oitavas-de-final com seus respectivos classificados. Todas as partidas foram realizadas no dia 27 de maio de 1934.

 

   VS  

No estádio Nacional PNG, em Roma, entravam em campo Itália e Estados Unidos em um dos confrontos das oitavas-de-final.

FOTO SELECAO ESTADOS UNIDOS

Com a presença do ditador Benito Mussolini, a seleção italiana goleou os norte-americanos pelo placar de 7 a 1. Os gols da Itália foram marcados por Schiavio (3), Orsi (2), Ferrari e Meazza. Já os Estados Unidos marcou seu único gol através de Donelli.

 

 

   VS  

No estádio Littorio, em Trieste, Tchecoslováquia e Romênia duelavam para ver quem conquistava a outra vaga para as quartas-de-final. Os tchecos foram os classificados vencendo de virada os romenos pelo placar de 2 a 1. Os gols da Tchecoslováquia foram marcados por Puc e Nejedly. Já a Romênia marcou o seu gol através do jogador Dobai.

 

 

   VS  

No estádio San Siro, em Milão, a favorita Holanda enfrentava a Suíça. Como a primeira zebra da Copa, os suíços surpreenderam os holandeses pela forte marcação e contra-ataques rápidos. A Suíça acabou vencendo a Holanda pelo placar de 3 a 2. Os gols da Suíça foram marcados por Kielholz (2) e Abegglen. A Holanda marcou seus dois gols com Smit e Vente.

 

 

   VS  

No estádio Marassi, em Gênova, o Brasil entrava em campo para enfrentar a Espanha. O sorteio realmente não foi nada bom para nós brasileiros, pois a Espanha tinha jogadores de destaques como o goleiro Ricardo Zamora (melhor goleiro do mundo na época), o zagueiro Quinconces e o atacante Langara.

Com isso, o Brasil perdeu o jogo pelo placar de 3 a 1. Leônidas marcou o único gol da seleção brasileira.

Os espanhóis marcaram os seus gols com Iraragorri (2) e com o atacante Langara. Infelizmente acabamos voltando cedo para casa e a Espanha avançava para as quartas-de-final.

 

 

   VS  

No estádio Giovanni Berta, em Florença, Alemanha e Bélgica faziam outro duelo das oitavas-de-final. Os alemães, franco favoritos, já haviam vencido os belgas por 8 a 1 em amistoso realizado um ano antes.

Contudo, na partida em que valia uma vaga para as quartas-de-final, a Bélgica surpreendeu os alemães quando viraram o primeiro tempo vencendo por 2 a 1. Na segunda etapa, a Alemanha veio com tudo para cima dos belgas e acabaram virando a partida. Resultado final: Alemanha 5 x 2 Bélgica. Os gols da Alemanha foram marcados por Conen (3), Siffling e Kobierski. Já a Bélgica marcou seus gols através do jogador Voohoof (2).

 

 

   VS  

No estádio Littoriale, em Bologna, Suécia e Argentina (foto abaixo) duelavam em busca de uma vaga para as quartas-de-final.

Os hermanos bem que tentaram, mas acabaram sendo derrotados pela Suécia pelo placar de 3 a 2. Os gols da Suécia foram marcados por Jonasson (2) e Kroon. Já a Argentina marcou com Belis e Galateo.

 

 

   VS  

No estádio Benito Mussolini, em Turim, Áustria e França duelavam pela classificação às quartas.

Os franceses até saíram na frente, mas acabaram levando a virada e o placar do jogo terminou 3 a 2 para a Áustria.

Os gols da Áustria foram marcados por Sindelar, Schall e Bican (foto acima). Já a França marcou seus gols com Nicolas e Verriest.

 

 

   VS  

No estádio Giorgio Ascarelli, em Nápoles, Hungria e Egito (foto abaixo) se enfrentavam para ver quem ficava com a última vaga das quartas-de-final. A Hungria, sem muito esforço, venceu a partida pelo placar de 4 a 2.

Os gols da Hungria foram marcados por Toldi (2), Teleki e Vincze. O Egito conseguiu marcar com Fawzi (2).

 

 

 

As quartas-de-final

Os confrontos das quartas-de-final da Copa do Mundo foram decididos através de um sorteio realizado pela Fifa no dia 27 de maio, logo após as partidas das oitavas-de-final. Todos os jogos foram realizados no dia 31 de maio.

Veremos logo abaixo, como ficaram estes confrontos das quartas-de-final da Copa do Mundo com os seus respectivos resultados e classificados.

 

   VS  

No estádio San Siro, em Milão, Alemanha e Suécia se enfrentavam em um dos confrontos das quartas-de-final. Com estilos bastante parecidos, a partida foi bastante equilibrada e acabou com a vitória dos alemães pelo placar de 2 a 1. Os gols da Alemanha foram marcados por Hohmann (2) e a Suécia marcou o seu gol com Dunker. A Alemanha estava nas semifinais.

 

 

   VS      –  ROUND 1

Uma curiosidade aconteceu neste confronto. Ele foi decidido em dois jogos, ambos no estádio Giovanni Berta, em Florença. O primeiro jogo, realizado no dia 31 de maio como todos os outros, acabou terminando empatada em 1 a 1. Os gols deste jogo foram marcados por Regueiro, da Espanha, e Ferrari, da Itália. Como na época não havia decisão por pênaltis, a partida que terminasse empatada no tempo normal e na prorrogação, obrigava a realização de um jogo desempate. E foi isso o que aconteceu.

   VS      –  ROUND 2

No dia 1º de Junho, somente um dia após o primeiro confronto, Itália e Espanha entraram novamente em campo para realizarem a partida desempate. Desta vez, os italianos conseguiram um resultado apertado de 1 a 0, gol marcado pelo jogador Meazza, sendo o suficiente para classificar a Itália para as semifinais da competição. Alegria de Mussolini.

Cabe destacar que a Espanha foi simplesmente roubada pelo árbitro suíço, René Mercet, que anulou dois gols legítimos dos espanhóis.

 

 

   VS  

No estádio Benito Mussolini, em Turim, Tchecoslováquia e Suíça faziam mais um confronto das quartas-de-final. A Suíça chegou a sair na frente, mas a Tchecoslováquia acabou virando o jogo para 3 a 2 e conquistou a sua classificação para as semifinais. Os gols da Tchecoslováquia foram marcados por Svoboda (2) e Nejedly. A Suíça marcou seus gols com Jäggi e Kielholz.

 

 

   VS  

No estádio Littoriale, em Bologna, Áustria e Hungria se enfrentavam para ver quem ficava com a última vaga para as semifinais. Em uma partida equilibrada e bastante violenta, a Áustria acabou vencendo a Hungria pelo placara de 2 a 1. Os gols austríacos foram marcados por Horvath e Zischek. Já a Hungria marcou o seu gol através de Sarosi.

Uma curiosidade é que Áustria e Hungria eram um país só. Contudo, devido a Primeira Guerra Mundial, o império austro-húngaro foi separado. Talvez isso explique o porquê da partida ter sido violenta.

 

 

 

As semifinais

As semifinais também foram decididas no sorteio. Quatro equipes estavam na luta: Itália, Áustria, Tchecoslováquia e Alemanha. Todos os jogos foram realizados no dia 3 de junho.

Veremos logo abaixo como ficaram os confrontos e quais as duas seleções conquistaram a vaga para a final.

 

   VS  

No estádio Nazionale PNF, em Roma, era realizado um duelo de gigantes. A Tchecoslováquia enfrentava a Alemanha. Os alemães não contavam para a partida com o atacante Hohmann, machucado, e também com o meio campista Gramlich, que teve que retornar ao país por problemas pessoais. Com isso, o forte esquema tático conhecido como WM, que era uma espécie de 3-2-2-3 foi completamente desmantelado. Os tchecos, que tinham um futebol altamente qualificado no meio de campo, acabaram se aproveitando dos desfalques da Alemanha e venceram o jogo pelo placar de 3 a 1. Os gols da seleção tcheca foram marcados por Nejedly (2) e Krcil e a Alemanha marcou seu gol com Noack. A Tchecoslováquia estava na final da Copa.

 

 

   VS  

No estádio San Siro, em Milão, a Itália enfrentava a Áustria na outra semifinal. Os italianos já haviam tido ajuda de árbitros em outras partidas, como por exemplo, contra a Espanha. Na semifinal, a coisa não foi diferente. Os italianos conseguiram uma vitória suada pelo placar de 1 a 0 e no final do jogo, para segurarem o resultado, distribuíram pancadas pra tudo quanto é lado. Roubalheiras a parte, a Itália estava na final e o duelo seria contra a Tchecoslováquia.

 

 

 

Decisão do terceiro lugar

   VS  

No dia 7 de junho, as seleções derrotadas na semifinal, Alemanha e Áustria, se enfrentavam no estádio Giorgio Ascarelli, em Nápoles, para decidir a disputa do terceiro lugar.

Os Alemães, após abrirem o placar aos 25 segundos do primeiro tempo (gol mais rápido do futebol na época) conseguiram manter-se sempre a frente do marcador mesmo com os austríacos tendo uma breve reação no jogo. O resultado final foi: Alemanha 3 x 2 Áustria. A Alemanha conquistava o terceiro lugar da Copa do Mundo de 1934.

 

 

 

A grande final

   VS  

Dia 10 de junho de 1934. O palco da grande final foi o estádio Nazionale PNF, em Roma. O horário do início da partida éra às 17h30. Mais de 50 mil pessoas estavam presentes. Em campo, Itália e Tchecoslováquia e apenas uma delas seria a campeã.

Depois de realizado o sorteio pelo juiz sueco Ivan Eklind, o jogo começou.

O primeiro tempo teve como destaque os capitães e goleiros das duas equipes. Planika (Tchecoslováquia) e Combi (Itália).

Os tchecos chegaram a mandar uma bola na trave ainda no primeiro tempo, porém, o resultado persistia em não sair do zero. Terminada a primeira etapa e a Itália, apesar de ter levado uma bola no travessão, havia sido melhor.

Começou o segundo tempo e a partida continuava bastante equilibrada. O resultado insistia em ficar no zero, porém, aos 31 minutos foi aberto o marcador. O atacante Puc, da Tchecoslováquia, recebeu um passe de Sobotka, no bico da grande área, no lado esquerdo do ataque, e chutou de primeira, no canto direito do goleiro Combi. Aberto o marcador, Itália 0 x 1 Tchecoslováquia (foto abaixo).

O desespero pegou o time italiano. Perder em casa, frente ao ditador Mussolini, não estava na mente da seleção da Itália e o gol de empate veio logo aos 36 minutos. O jogador Ferrari (Itália) recebeu uma bola no peito e tocou para Orsi. Virado de costas para ao gol, Orsi deu um giro em cima do zagueiro Kostalek e chutou a bola no canto direito de Planicka. Era o gol de empate da Itália para a felicidade de Benito Mussolini. Itália 1 x 1 Tchecoslováquia (foto abaixo).

A partida terminou no tempo normal (90 minutos) empatada em 1 a 1 e uma prorrogação foi realizada. Para azar dos tchecos, os italianos estavam a mil com a preparação física graças ao trabalho elaborado pelo treinador Vittorio Pozzo (foto abaixo).

Aos cinco minutos do primeiro tempo da prorrogação, os donos da casa viraram a partida. Meazza levantou uma bola na área e Guaita dividiu a bola com o zagueiro da Tchecoslováquia tocando para Schiavio. O atacante chutou pro gol, a bola desviou no zagueiro e acabou encobrindo o goleiro Planicka. Era o gol do título, o gol da consagração do time e da comissão técnica que escaparam de um possível ataque de fúria de Benito Mussolini em caso de derrota. Itália 2 x 1 Tchecoslováquia (foto abaixo).

A Tchecoslováquia não teve mais forças para reagir e a partida terminou com o placar de 2 a 1 para os italianos.

Festa dos jogadores em campo e dos mais de 50 mil torcedores que lotaram o estádio Nazionale PNF (foto abaixo).

 

 

 

A seleção campeã, Itália

A seleção campeã da Itália, na final da Copa, tinha: Combi, Monzeglio e Allemandi, Ferraris IV, Monti e Bertolini, Guaita, Meazza, Schiavio, Ferrari e Orsi. O técnico era Vittorio Pozzo.

 

 

 

A seleção da Copa

Assim como na Copa de 1930, em 1934, o esquema usado era ainda o 2-3-5. Com isso, veremos abaixo qual foi a seleção da Copa de 1934 formado pelos melhores jogadores da competição, segundo a Fifa.

– Goleiro: Zamora (Espanha)

– Zagueiros: Monzeglio (Itália) e Quincoces (Espanha)$

– Meias: Ferraris IV (Itália), Monti (Itália) e Cambal (Tchecoslováquia)

– Atacantes: Guaita (Itália), Meazza (Itália e Craque da Copa), Conen (Alemanha), Nejedly (Tchecoslováquia) e Sindelar (Áustria).

 

 

 

As curiosidades da Copa

O velho Mussum aí em cima vai nos mostrar logo abaixo as principais curiosidades da Copa do Mundo de 1934, na Itália.

 

Anfilógino Guarisi, o brasileiro campeão mundial

Revelado pela Portuguesa (SP) e jogador do Corinthians (SP) quando foi contratado pela Lazio, Anfilógino Guarisi Marques, brasileiro filho de italianos, foi naturalizado para poder jogar a Copa pela Itália. Guarisi, como era chamado na Itália, atuou apenas na partida contra os Estados Unidos, no qual, a Itália venceu por 7 a 1.

 

 

San Siro ou Giuseppe Meazza?

Uma curiosidade deve ter “encucado” você quando foi escrito que o estádio San Siro, na Itália, é chamado tanto por este nome como também de Giuseppe Meazza. Vamos saber o porquê disso.

Giuseppe Meazza (foto acima) nasceu em 23 de agosto de 1910 e começou sua carreira como jogador profissional aos 17 anos de idade. Com 20 anos, chegou a seleção italiana onde marcou 33 gols em 53 jogos ao longo de sua carreira. Era o principal artilheiro da história da Azzurra até 1970 quando foi superado por Luigi Rivera. Meazza era um jogador que se destacava pelo faro do gol e também pelo passe qualificado. Ficou tão famoso na Itália que seu nome foi usado para batizar o estádio San Siro. Como foi jogador da Inter de Milão, o estádio San Siro (usado tanto pela Internazionale quanto pelo Milan) é chamado por Giuseppe Meazza quando o mando é da Inter de Milão e de San Siro quando o mando de jogo é do Milan.

 

 

O primeiro “quatro olhos” do futebol

O jogador da Suíça, Leopold Kielholz, foi o primeiro jogador da história a usar óculos de grau em uma partida de futebol. O atacante foi o autor de dois gols na vitória sobre a Holanda pelo placar de 3 a 2.

 

 

O cumprimento ao fascista

A seleção italiana, sempre que entrava em campo, fazia o gesto de cumprimento do governo fascista de Benito Mussolini. Como na foto acima, nem os juízes da final escaparam de terem que fazer este cumprimento antes do início do jogo.

 

 

 

Os números da Copa

Com duração de 15 dias, a Copa do Mundo da Itália teve os seus jogos realizados em 8 cidades-sede.

Ao todo, 16 países participaram nesta Copa, realizando num total de 17 jogos, que contaram com um público total de 395 mil espectadores. O maior público foi na partida da final entre Itália e Tchecoslováquia que teve a presença de 50 mil espectadores. Já o menor público foi na partida entre Alemanha e Áustria que teve a presença de 7 mil espectadores.

Nesta Copa do Mundo, três atacantes foram os artilheiros: Conen (Alemanha), Schiavio (Itália, foto acima) e Nejedly (Tchecoslováquia). Cada um deles marcaram 4 gols.

O goleiro menos vazado da competição foi o capitão da seleção italiana, Giampiero Combi (foto acima), que levou apenas 3 gols em 5 jogos.

A maior goleada da Copa foi aplicada na partida entre a Itália e Estados Unidos, na vitória pelas oitavas-de-final, por 7 a 1 (foto acima).

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– SITE: Federação Internacional das Associações de Futebol – www.fifa.com
– SITE: Confederação Brasileira de Futebol – www.cbf.com.br
– SITE: Storie di Cálcio – www.storiedicalcio.altervista.org/
– LIVRO: O guia dos curiosos: esportes / Marcelo Duarte. – 3ª ed. Atualizada. São Paulo: Panda Books, 2006.
– LIVRO: O Mundo das Copas: as curiosidades, os momentos históricos e os principais lances do maior espetáculo do esporte mundial / escrito e ilustrado por Lycio Vellozo Ribas. – São Paulo: Lua de Papel, 2010.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

84 − 77 =