Home História dos Esportes Aquáticos Pesca Esportiva Modalidades e Equipamentos da Pesca Esportiva
0

Modalidades e Equipamentos da Pesca Esportiva

Modalidades e Equipamentos da Pesca Esportiva
0
0

Os equipamentos

Abaixo, você vai conhecer os equipamentos básicos necessários para a prática da pesca esportiva.

 

 

Caniço (vara de pescar)

A vara de pescar poder ser fabricada com vários tipos de materiais: bambu, fibra de vidro, nylon, epóxi, carbono, metal, etc., maciço ou tubular, inteiriço ou dividido em seções (caniço da foto acima) ou ainda telescópico;

Os primeiros caniços foram feitos de madeira fina flexível (vara) e mais tarde o bambu entrou em cena, justamente por ser mais leve, oco e bastante flexível.

Depois de quase duas décadas do bambu predominando, chegaram os caniços de fibra de vidro e, mais tarde, vieram os caniços de fibra de carbono e grafite que hoje estão na preferência da maioria dos esportistas da pesca. Os caniços são ainda classificados em: leve, médio, pesado e ultra pesado. Cada um destes tipos difere muito entre si e são projetados para um tipo específico de pesca.

 

 

Linhas

São fabricadas de nylon em monofilamento ou multifilamento. A classificação das linhas são grafadas em libras / peso de testes, assim temos linhas de 6, 12, 20, 30, 50, 80 e 130 libras de teste com peso estático. No Brasil, as linhas são classificadas de acordo com a sua espessura (em milímetros) ficando em: 0,10 – 0,20 – 0,40 – 0,60 – 0,80 – 1,00 milímetros.

A seleção do tipo de linha está ligada diretamente com o restante do equipamento que será utilizado pelo pescador.

 

 

Anzóis

Os anzóis (foto acima) possuem vários tamanhos e estão diretamente ligados ao peixe que se pretende pescar.

Há também a garatéia, que é um conjunto de vários anzóis (foto acima).

 

 

Chumbadas
  

Existem vários tipos de chumbadas, cada uma com sua determinada finalidade. A imagem da esquerda nos mostra alguns modelos de chumbadas de pesca embarcada. Já a imagem da direito, nos mostra alguns tipos de chumbadas de lançamento e são as mais usadas na pesca.

 

 

Bóias

As bóias têm como função de manter as iscas a determinada altura, não permitindo que elas afundem. Conhecendo os hábitos dos peixes, principalmente a que altura eles nadam e capturam suas presas, é fácil regular a bóia de forma a manter o anzol iscado àquele determinado nível. Como mostra a foto acima, estes são alguns tipos de bóias mais usadas na pesca.

 

 

Molinete

O molinete (que em inglês significa Reel, Spin ou Spinning Reel) é sem sombra de dúvidas um dos principais equipamentos da pesca esportiva.

Os amantes do molinete dizem que esse tipo frontal oferece mais maleabilidade no trato, mais facilidade no manejo, além de melhor desempenho no ato de recolher.

Os molinetes podem ser classificados de acordo com o uso a que se destinam:

Ultra Leve – é o menor deles e pode ser usado com linhas da classe 3 a 5 libras;

Leve – para serem usados com linhas de 5 a 12 libras;

Médio – para linha de 12 a 30 libras;

Pesado – para se usar com linhas acima de 30 libras.

 

 

Carretilha

A carretilha (que em inglês significa Cast ou Baitcasting reel) é junto com o molinete um dos equipamentos mais utilizados na pesca. Os amantes deste instrumento dizem que a carretilha proporciona lançamentos mais longos, são mais fortes, tem maior capacidade de armazenamento e não torcem a linha.

Contudo, o único defeito que este instrumento possui é quanto ao back-lash, conhecida como cabeleiras, que é um emaranhado de linha que acontece após qualquer arremesso mal executado.

A carretilha é bastante indicada para o uso da pesca embarcada.

 

 

 

Iscas artificiais

Abaixo veremos algumas das principais iscas artificiais usadas na pesca esportiva.

 

Jig

Artefato feito em chumbo ou estanho, penas brancas de galo, ou de fios ou então de plástico. É um tipo de isca muito versátil e bastante usada na pesca ao robalo e outros predadores que normalmente trabalham no fundo das águas.

 

 

Popper

Tipos de iscas que dão estalos na água.

 

 

Spinner bait

Isca feita com uma haste cuja extremidade  fica a isca propriamente dita que tanto pode ser um penacho quanto uma colher que gira.

 

 

Zara

Isca muito boa para trabalhar em “zigue zague”. As amplitudes dos movimentos são mais largos. É uma das iscas mais usadas na pesca esportiva e trabalha a meia água.

 

 

Spinner

Tem como objetivo imitar insetos, crustáceos ou pequenos peixes nadando, fugindo ou morrendo.

 

 

Twitch bait

É uma isca de sub-superfície, ou seja, é usada em torno de 30 centímetros abaixo da linha d’água.

 

 

Buzz bait

São iscas que produzem zumbidos na água.

 

 

Rattlin

São iscas utilizadas para capturar peixes que ficam em profundidades de 5 metros. Ela atrai o peixe para a superfície d’água.

 

 

 

Os peixes esportivos marinhos

Depois de conhecermos os equipamentos necessários para uma pesca esportiva, nada melhor que apresentarmos os peixes que são considerados esportivos. Veja logo abaixo algumas destas espécies.

 

Arraia ou Raia

Dentre as mais diversas espécies de arraias como a famosa Jamanta, que podem chegar até 6 toneladas e a Arraia Chita, com cabeça de tartaruga, corpo negro e com bolinhas brancas, brigadora e voadora, a mais conhecida de fato é a Arraia Manteiga (foto acima).

Ela é encontrada dos Estados Unidos à Argentina, é pescada no fundo, em locais lodosos ou arenosos.

 

 

Bagre

Quem aqui nunca viu um bagre? Quando falamos deste peixe, trata-se de relatar de que nesta família existem inúmeros tipos, dede o Bagre Branco, espécie gigante que pode chegar à 30 quilos até o Bagre Bandeira que é encontrado em todas as praias.

O da foto acima é o bagre amarelo, que é o mais encontrado. É um peixe pequeno que alcança no máximo 1 quilo.

 

 

Barracuda

É encontrada nas proximidades da Ilha de Fernando de Noronha e em alguns pontos esparsos do litoral nordeste. É um peixe extremamente voraz. Podem atingir até 50 quilos, sendo mais comuns exemplares de 15 quilos.

 

 

Batata

Conhecido também como Batata-de-Pedra, é encontrado dos Estados Unidos ao sul do Brasil. Pode atingir até 3 quilos e sua carne é de boa qualidade.

 

 

Betara

Conhecido também como Embetara, é um peixe de pequeno porte encontrado em todo o Brasil. Existem dois tipos deste peixe, um mais escuro e rosado e o outro com o dorso claro. É muito pescado no inverno.

 

 

Bicuda

Peixe que vive em grandes cardumes, a meia água ou na superfície. Tem um corpo alongado e focinho pontudo. Atinge até 65 centímetros de comprimento e pesa pouco mais de 1 quilo.

 

 

Cação

Existem inúmeros tipos de cação. O da foto é o cação anjo. Os cações pequenos, de até 50 quilos, são os mais cobiçados na pesca esportiva. Cações de grande porte são pescados em alto mar, na modalidade Ocean Fishing (ver mais abaixo).

 

 

Cavala

É um peixe veloz, de arrancadas alucinantes e faz a felicidade de qualquer pescador. Pode atingir até 15 quilos e mais de um metro de comprimento. Apresenta um dorso azul-metálico, laterais azuladas e o ventre prateado.

 

 

Corvina

É encontrada em todo o litoral brasileiro. Vive em pequenos cardumes junto à arrebentação. É pescada com material leve, em arremessos curtos, na arrebentação onde come.

 

 

Papa-Terra

É uma espécie muito parecida com a Betara, porém, possui coloração diferente e alcança mais peso e tamanho. São encontrados em todo o litoral brasileiro.

 

 

Peixe-Espada

É um peixe voraz, que ataca suas presas com seus dentes afiados. Nadam em grandes cardumes a meia água e à superfície em busca de alimentos. É um peixe de hábitos noturnos.

 

 

Pescada

É encontrada em todo o litoral brasileiro, principalmente na região sul. Pode atingir até 1 metro de comprimento e mais de 5 quilos. É também conhecida como Pescada Verdadeira.

 

 

Robalo

É encontrado em todo o litoral brasileiro. Habita também estuários, canais, lagoas e mangues ligados ao mar. Atinge até 1,2 metros e pode pesar até 20 quilos.

 

 

Tainha

Com uma coloração prata azulada, a Tainha pode alcançar até 10 quilos e 1 metro de comprimento. Habita águas calmas e quentes de regiões costeiras. É encontrada em toda a região litorânea do Brasil.

 

 

Xaréu

É encontrado no litoral de São Paulo até a região Norte do Brasil. Pode atingir até 30 quilos de peso. Pode ser pescado tanto fundo quanto na superfície da água.

 

 

Espadarte

Este é o maior troféu da pesca esportiva mundial. Veloz, pode atingir uma tonelada de peso, sendo mais comuns exemplares com até 200 quilos. Habita todos os mares, porem é mais encontrado no Oceano Pacífico e Índico.

 

 

As modalidades da Pesca Esportiva

A pesca esportiva se divide em inúmeras modalidades. Entre elas estão: Arremesso de Praia, Pesca embarcada costeira, Pesca de alto-mar, Corrico, Rodada e Pesca com mosca.
Vejamos então abaixo, a definição de cada uma destas modalidades.

 

 

Pesca de alto-mar (Ocean fishing)

A pesca em alto mar é uma modalidade que envolve grande esforço e risco. Para conseguir sucesso neste tipo de pesca, três são os equipamentos necessários: vara, isca viva, espinhel e rede de cerco. É uma modalidade de pescaria com pequenos intervalos de muita ação e longos intervalos de espera.

 

 

Arremesso de Praia (Surf Fishing)

A modalidade Arremesso de Praia, também conhecida como Surf Fishing subdivide-se em:

Casting: Quando se usam molinetes de maior porte ou carretilhas de tambor fixo. É talvez a pesca de praia mais apreciada e que conta com maior número de adeptos. Pratica-se com caniços de 3,2 a 5 metros de comprimento e linhas leves de 12 a 30 libras. Os arremessos geralmente devem ser mais longos que variam de 80 a 140 metros.

Spinning: Quando são usados molinetes pequenos ou carretilhas pequenas. É uma pesca praticada preferencialmente com iscas artificiais. Nesta modalidade, logo depois de efetuado o arremesso, o procedimento de recolhimento é logo executado podendo ser lento ou rápido.

Pesca na espuma: Utiliza-se equipamento ultraleve. Visa pequenos peixes que habitam a segunda arrebentação, mariscando a areia. Os caniços são próprios para os pequenos molinetes de carretel protegido e devem ser usados apenas com uma das mãos.

 

 

Pesca embarcada costeira

É uma modalidade que não exige longa jornada até a linha azul cobalto em alto mar. Oferece a possibilidade de capturar peixes de médio porte. Pesca-se com chumbadas e têm o objetivo de capturar peixes que não vêm à superfície da água. São usados equipamentos de porte médio ou pesado, conforme os peixes que se habilita pescar.

 

 

Pesca Corrico (Trolling)

É uma modalidade que utiliza lanchas. Neste tipo de pesca, a embarcação sempre fica em movimento, com motor ligado. Usam-se iscas naturais, geralmente peixes pequenos.

O corrico pode ser executado na zona costeira ou em alto mar, nas pescas aos peixes de bico.

 

 

Pesca de rodada

É uma modalidade praticada em rios, lagoas, estuários ou nos respectivos canais que deságuam no mar.

Consiste em deixar o barco conforme a correnteza, enquanto se traz o anzol iscado. Usam-se iscas artificiais ou naturais.

 

 

Pesca com mosca (Fly casting)

É uma modalidade pouco praticada no Brasil. Destina-se à pesca de trutas, salmões e outros peixes que habitam águas frias dos rios de regiões de clima temperado. Utiliza-se equipamento especial como varas longas, finas e delgadas; uma carretilha parecida com um carretel apenas com a função de armazenar linha, que é grossa e achatada e a isca consiste em insetos.

Os pescadores adentram as corredeiras de rios gelados com roupas especiais e colocam-se em posição estratégica para efetuarem melhores lançamentos.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– LIVRO: A arte da pesca esportiva no mar: história, estratégia, tática. Wander Costa. São Paulo: IBRASA, 2000.
– SITE: Federação Brasileira de Pesca Esportiva – http://www.fbpe.esp.br/
– SITE: Federação Internacional de Pesca Esportiva – – http://www.wsff.org/
– SITE: Associação Internacional de Pesca Esportiva – http://www.igfa.org/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 7 =