0

Pesca Esportiva: A história

Pesca Esportiva: A história
0
0

O início da Pesca Esportiva

Contar a história da relação do homem com os peixes é tão antigo quanto à própria existência do ser humano.

Povos primitivos, sem ainda terem desenvolvido formas tradicionais de cultivo da terra e criação de animais, praticamente dependiam da pesca para se alimentarem. Vários objetos eram utilizados para a captura de peixes, contudo, um outro objeto surgia, sendo este o principal para a prática da pesca.

Tudo começa a partir da existência do anzol, que segundo arqueólogos, vem desde o período Paleolítico, quando estes tinham pontas afiadas e um formato de esquírolas (fragmento de ossos).

Já no período Neolítico, o anzol (foto acima) tinha o mesmo formato que os anzóis atuais, porém, eram feitos de ossos, madeira ou de conchas de mariscos.

Com o passar dos séculos, após o descobrimento do ferro, surgia o anzol forjados em aço (foto acima), por volta do século XIV, quando em Londres, instalou-se uma manufatura de agulhas de cozer e também se dedicaram a fabricação do anzol de pesca.

O desenvolvimento da pesca sempre acompanhou a trajetória de seu principal artefato, o anzol. Junto, as linhas de pesca, antes feitas de fibras vegetais ou animais, foram sendo aperfeiçoadas por metais de várias linhagens ou então de materiais sintéticos que hoje são super resistentes.

Por volta do século XVII, uma freira chamada Juliana Berners (foto acima), teria sido, segundo historiadores, a pessoa que primeiro definiu os princípios da verdadeira pesca esportiva, quando incitou pescadores a usarem equipamentos leves, adequados e iscas artificiais, através de seu livro Book os Saint Albans (O livro de Santo Albano).

Por volta de 1600, os ingleses adotaram a pesca esportiva por vários entusiastas londrinos que praticavam o esporte, até então uma novidade, à beira do rio Tâmisa.

Pouco depois, em 1653, Izaak Walton (foto acima), com seu livro The Complete Angler (O Pescador Esportivo Completo), dedicava seu tema dando uma ampliação no esporte. Este livro contribuiu para o crescimento da pesca esportiva e muitos ingleses começaram a pescar trutas, salmões e percas nos rios da Inglaterra com varas leves, linhas finas, anzóis pequenos e iscas artificiais.

A pesca no seu caráter tipicamente esportivo surgiu, portanto, na Inglaterra, por volta do século XVIII, após estes acontecimentos.

 

 

A invenção do molinete

No final do século XIX, o norte-americano George Snyder deu um novo impulso para a pesca em geral e que influenciou muito na pesca esportiva. Graças a ele, surgia o molinete multiplicador.

Antes, os molinetes eram de madeira, e não passavam de um simples carretel. Com o molinete inventado por Snyder, possibilitou que o pescador conseguisse maior extensão de linha. Estes novos equipamentos de metal aumentaram consideravelmente a capacidade de armazenamento de linha e agilizavam o seu recolhimento, uma vez que, uma volta na manivela equivalia a três voltas do tambor.

 

 

A introdução da Pesca Esportiva no mar e as inovações

Até agora ficamos sabendo que os primeiros a pescarem desportivamente, foram os ingleses, porém, agora veremos que quem tomou a iniciativa da pesca no mar, foram os norte-americanos, assim como as mais diversas técnicas da pesca esportiva que hoje são colocadas em prática.

Quando este esporte passou a ser aplicado em águas salgadas, muitas modalidades foram criadas em busca da captura de grandes peixes como o atum, albacoras, peixes de bico ou tarpons. Isto tudo exigiu que os molinetes daquela época contivessem um dispositivo de freadas mais aperfeiçoados do que o simples pedaço de couro que era usado para comprimir a linha com o dedo polegar sendo colocado em risco.

Graças ao engenheiro Willian Boschen, foi criado o freio de fricção, o que permitiu, de fato, a captura de grandes peixes.

Assim como a pesca industrial conseguiu fazer bom uso com as inovações, a pesca esportiva não ficou para trás.

A carretilha (foto acima), outro instrumento para armazenar e recolher linhas, foi utilizada pela primeira vez para a pesca profissional de alto mar. Um pouco mais adiante, este instrumento conquistou alguns amadores da pesca ocasionando a divisão entre os que preferiam o molinete e a carretilha. Atualmente, temos os pescadores que utilizam apenas molinetes para pescar e outros preferem a carretilha. O importante é que tanto um quanto outro proporciona o mesmo prazer de “pescar por pescar”.

 

 

A denominação de Pesca Esportiva

A pesca esportiva ganhou esta denominação por se tratar do ato de pescar por hobby, lazer e esporte. O pescador não tem o seu sustendo dependente da pesca. É simplesmente “pescar por pescar”, como citei acima.

Depois de tantas invenções e inovações, hoje em todo o mundo, a pesca esportiva é muito praticada e vem crescendo cada vez mais. Competições nacionais e internacionais são realizadas todos os anos com as mais diversas modalidades tanto em rios quanto em mares e sempre com um cuidado: ser apenas uma modalidade esportiva, com a utilização de equipamentos corretos e sem jamais prejudicar a vida dos peixes.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– LIVRO: A arte da pesca esportiva no mar: história, estratégia, tática. Wander Costa. São Paulo: IBRASA, 2000.
– SITE: Federação Brasileira de Pesca Esportiva – http://www.fbpe.esp.br/
– SITE: Federação Internacional de Pesca Esportiva – – http://www.wsff.org/
– SITE: Associação Internacional de Pesca Esportiva – http://www.igfa.org/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 1 = 1