0

História da Esgrima no Mundo

História da Esgrima no Mundo
0
0

 

Do pedaço de pau a espada de metal

Entender como surgiu este esporte chamado Esgrima, nos requer voltar há pré-história e resgatar o fato de quando o homem usou pela primeira vez um pedaço de pau com o intuito de se defender ou atacar algo para garantir a sua sobrevivência. Porém, foi somente com o surgimento dos metais que foram criadas, de fato, as primeiras armas para combates.

Para quem imagina que a esgrima surgiu na época de D’Artagnan e os três mosqueteiros, no final do século XVII, que defendiam o rei Luís XIII, na França, está enganado.

A esgrima teve seus primeiros indícios por volta do ano de 1190 a.C., como apontam desenhos encontrados em templos egípcios no tempo em que era governado pelo faraó Ramsés III.

No início, as espadas eram apenas de uso de homens nobres, que duelavam nos castelos europeus para demonstrar suas habilidades.

Na idade média é encontrado em documentos e manuscritos a base do esporte como ela é conhecida atualmente. No século XII, a esgrima alcançou um lugar importante entre as mais variadas formas de luta como a defesa.

No começo do século XVI, nos tempos do rei Henrique VIII, da França, a nobreza começava a freqüentar as salas de armas do rei. Com isso, Henrique VIII ordenou a formação de uma corporação de todos os mestres de armas, do qual, estes, ensinavam as primeiras noções teóricas aos jovens da nobreza.

Neste mesmo período, os espadachins de uma escola espanhola, ganharam fama na Europa pelo domínio que tinham com as espadas.

A partir deste momento, o esporte foi se moldando por dois séculos. O material passou por uma evolução, tornando a esgrima bastante parecida com a atual com o surgimento das luvas, máscara, punhais, coletes para os mestres e os floretes (espada de treinamento mais leve e com golpes não letais).

A Espanha foi a responsável pela criação dos floretes, que deu origem a uma nova forma de luta e, como conseqüência, à elaboração de novas regras. A arte passou depois para a Itália, onde alcançou um notável desenvolvimento, sobretudo no que diz respeito à Escola Napolitana, que sofisticou os movimentos do esporte.

Em 1852, mestres da École de Joinville, na França, estabeleceram regras e criaram a esgrima atual.

 

 

Das batalhas antigas à modalidade olímpica

Graças ao doutor Graeme Harmond, em 1891, a esgrima passou a ser um esporte de competição nos Estados Unidos e começou a ser mais difundida.

Um pouco antes, no final do século XVIII, surgiam as máscaras que são utilizadas até hoje pelos esgrimistas. No ano de 1860, o Conde Koenigsmarken, da Polônia, inventou a espada de folha plana, parecida com as espadas que são usadas atualmente. As oito posições indicadas para as paradas, que explicam claramente as posições de punho, braços, etc, foram criadas no final do século XIX.

Em 1896, nos Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia, a esgrima esportiva unificada iniciava verdadeiramente graças ao incentivo do Barão de Coubertin, o pai das Olimpíadas da Era Moderna. Nestes jogos, a esgrima contou com a participação de 13 competidores representando quatro países diferentes, nas modalidades de florete e sabre.

Em 1913, foi fundada a Federação Internacional de Esgrima. Desde lá, italianos, russos, húngaros e franceses dominam o esporte em Olimpíadas em provas masculinas.

Em 1924, nos Jogos Olímpicos de Paris, na França, surgiu a primeira competição feminina de florete. Na prova feminina, as maiores vencedoras são dos países da Itália, Hungria, Rússia e França.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– LIVRO: Almanaque dos Esportes, Editora Europa, 2009.
– LIVRO: A História dos Esportes, Orlando Duarte, 4ª ed. Editora Senac, SP, 2004.
– SITE: Federação Paulista de Esgrima – www.esgrima.org.br
– SITE: Confederação Brasileira de Esgrima – www.brasilesgrima.com.br
– SITE: Federação Internacional de Esgrima – www.fie.ch

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 7 = 3