2

Modalidades do Atletismo

Modalidades do Atletismo
0
2

 

A pista de atletismo

Antes de conhecermos as modalidades do atletismo, vamos saber como é a pista oficial em que os atletas praticam as provas.

Uma pista oficial de atletismo, como mostra a figura 1, é constituída de duas retas e duas curvas, conhecidas como meia lua. Oito raias, cada uma com 1,22 metros cada, são os caminhos dos quais os atletas devem correr. A largura total da pista é de no mínimo 10 metros. A raia mais externa é mais longa e possui 449 metros. Na figura 2, você consegue visualizar a área total de cada setor da pista.

Nas figuras 3 e 4, logo abaixo, visualize a localização de cada um dos setores e das marcas de uma pista de atletismo.

 

 

Atletismo – As modalidades

O atletismo é composto por mais de 20 modalidades, dentre elas o atleta precisa correr, pular, saltar, arremessar, entre tantas outras atividades que colocam de verdade o corpo a prova da sua condição física.

Logo abaixo, você saberá como funcionam cada uma destas modalidades.

 

 

Prova de 5 e 10 mil metros

Chamadas de corridas de fundo são as provas mais longas disputadas dentro de estádios dos Jogos Olímpicos. Os atletas, batizados de fundistas, têm físico mais franzino do que os competidores das provas de velocidade, pois a prioridade deles é pela resistência e não a explosão muscular. Tanto os 5.000 metros quanto os 10.000 metros foram disputados pela primeira vez em 1912, nas Olimpíadas de Estocolmo, na Suécia.

 

 

Provas de 100 e 110 com barreiras

Em uma das corridas mais rápidas do atletismo, o 110 metros com barreiras para os Homens e 100 metros com barreiras para as mulheres têm de usar a explosão e ainda saltar dez barreiras distribuídas pelo caminho. Para as mulheres, os obstáculos têm 84 centímetros de altura, enquanto para os homens, as barreiras têm 1,067 metros de altura.

 

 

Prova dos 100 metros

É a prova mais nobre das Olimpíadas. Sua estréia nos primeiros Jogos da Era moderna, em Atenas em 1896, deu o pontapé inicial para que, a cada quatro anos, o mundo se assombre ao conhecer o homem mais rápido do mundo. Os atletas podem completá-la em menos de 10 segundos. Para isso, respiram apenas uma única vez durante o trajeto em linha reta. Na foto temos o recordista mundial, o jamaicano, Usain Bolt com o tempo de 9,58 segundos.

 

 

Prova dos 200 metros

Depois de “explodir” na largada, os atletas devem manter os corpos em perfeito equilíbrio para enfrentar a curva que, muitas vezes, define quem se sagrará o vencedor. Depois devem dar uma arrancada final. Usain Bolt, o mesmo recordista dos 100 metros é também o detentor do melhor tempo da prova de 200 metros com o tempo de 19,2 segundos.

 

 

Prova dos 400 metros

Presente desde os primeiros Jogos da Era Moderna, em Atenas em 1986, é uma das mais nobres do atletismo. Os atletas devem dar uma volta na pista de atletismo que tem exatos 400 metros.

 

 

Prova dos 400 metros com barreiras

Prova de velocidade em que os homens devem superar dez barreiras de 91,4 centímetros de altura e as mulheres têm de saltar dez barreiras de 76,2 centímetros de altura. Criada na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, a categoria entrou para as Olimpíadas em 1900, nos Jogos Olímpicos de Paris, na França.

 

 

Prova dos 800 e 1.500 metros

São provas de meia distância em que os atletas devem conciliar alta velocidade com resistência. Nessas disputas, é comum a utilização de “coelhos”, atletas com muita força muscular que disparam na ponta forçando os demais competidores a acelerarem o ritmo. Os “coelhos” nunca terminam as provas e trabalham em equipe. As corridas entraram para as Olimpíadas em 1896, nos Jogos de Atenas, na Grécia, embora na época os 800 metros fossem na verdade, 805 metros.

 

 

Prova dos 3.000 metros com obstáculos

Durante o percurso, os atletas devem superar barreiras de quase 1 metro de altura e saltar lagos de 3 metros e 66 centímetros de comprimento. A prova entrou para as Olimpíadas nos Jogos de Paris, em 1900. As mulheres começaram a disputá-la a partir do Pan-Americano do Rio em 2007 e dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008.

 

 

Arremesso de dardo

É uma modalidade que simboliza as caças com lanças da Antiguidade. O arremesso de dardo consiste no lançamento após uma corrida em linha reta de um bastão que mede 2,60 metros e pesa 800 gramas para os homens e 2,20 metros com peso de 600 gramas para as mulheres. A partir do ponto de lançamento, duas linhas de 90 m de distância formam o campo de arremesso. Todos os lançamentos devem cair entre essas duas linhas. A modalidade entrou no programa olímpico em 1908, nos Jogos Olímpicos de Londres, na Inglaterra.

 

 

Arremesso de disco

O atleta deve segurar um disco plano contra os dedos da mão e antebraço. Depois, deve girar sobre seu corpo em uma área circular de 2,5 metros de diâmetro e lançar o disco para frente na maior distância possível. O disco é feito de metal, pesa 2 Kg e mede entre 219 e 221 milímetros de diâmetro para as provas masculinas. Já para as provas femininas, o disco pesa 1 Kg e possui diâmetro de 180 e 182 milímetros.

 

 

Arremesso de peso

Os atletas devem arremessar com uma mão uma bola sólida de metal a partir de um círculo de 2,1 metros de diâmetro o mais longe possível. O peso da bola para homens é de 7,26 kg e para as mulheres de 4 kg. As regras do esporte mudaram bastante com o passar do tempo, tanto que em sua primeira participação olímpica, nos Jogos de Estocolmo, na Suécia, em 1912, o lançamento podia ser feito com as duas mãos, o que hoje não é permitido.

 

 

Arremesso de martelo

O objetivo do atleta é lançar para frente uma bola de ferro presa a um arame metálico com uma alça na extremidade. Este equipamento pesa 7,26 Kg a partir de uma base que tem 2,1 metros de diâmetro. Para o lançamento, o atleta pode dar três giros com o martelo sobre a cabeça para ganhar impulso e depois mais três giros em alta velocidade em torno do eixo do seu corpo antes de efetuar o lançamento. Se o martelo cai no terreno dentro de um ângulo de 90 graus, o arremesso é considerado válido.

 

 

Decatlo

Esta prova, disputada apenas por homens, reúne 10 tipos de modalidades do atletismo, que são: 100 metros, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 metros, 100 metros com barreiras, arremesso de disco, salto com vara, arremesso de dardo e 1.500 metros. Sua estréia em Olimpíadas ocorreu em 1912, nos Jogos de Estocolmo, na Suécia.

 

 

Heptatlo

É uma prova realizada somente pelas mulheres. A competição reúne sete provas que são: 100 metros com barreiras, salto em altura, arremesso de peso, 200 metros, salto em distância, lançamento de dardo e 800 metros. O heptatlo entrou pela primeira vez nas Olimpíadas, nos Jogos de Los Angeles, nos Estados Unidos, em 1984.

 

 

Maratona

Disputada em um circuito de 42.195 metros, a maratona é a prova mais longa das Olimpíadas. Nas Olimpíadas, os 400 metros finais da corrida são dentro de um estádio. A prova estreou em 1986, nos Jogos de Atenas, na Grécia, e teve como vencedor Spiridon Louis.

 

 

Marcha Atlética

O atleta precisa correr mantendo o calcanhar do pé da frente em contato com o solo até que a ponta do pé posterior deixe o chão. Esta regra foi criada para evitar que os participantes corram. Em princípio, é como se fosse uma corrida em que os participantes só podem “andar”. Existem duas distâncias para as competições oficiais: 20 e 50 quilômetros.

A primeira prova olímpica foi disputada em 1908, nos Jogos de Londres, na Inglaterra, mas as atuais distâncias só foram incluídas no programa em 1932, os 50 quilômetros, nos Jogos de Los Angeles, nos Estados Unidos e a de 20 quilômetros em 1956, nos Jogos de Melbourne, na Austrália.

 

 

Revezamento 4×100 e 4×400 metros

O revezamento 4×100 e 4×400 metros são disputados por equipes de quatro atletas que correm 100 metros cada nas provas de 4×100 metros e 400 metros na prova de 4×400.

A partida é semelhante à dos 400 metros rasos. A troca de corredores ocorre a cada 100 metros na prova 4×100 e 400 metros na prova 4×400 e deve ocorrer em uma área com cerca de 20 metros de comprimento. Passagens de bastão fora deste intervalo desclassificam o atleta.

O atleta que recebe o bastão já deve estar correndo em alta velocidade antes de apanhá-lo de costas.

Tanto o revezamento 4×100 metros quanto o 4×400 metros foram introduzidos nas Olimpíadas em 1912, nos Jogos de Estocolmo, na Suécia.

 

 

Salto com vara

Os atletas correm em uma distância de 45 metros usando uma barra flexível cujo tamanho varia de acordo com a sua altura. Todos eles tentam superar uma barra horizontal. Cada vez que conseguem, a altura da barra sobe e eles têm três novas tentativas para superá-la. Com origem na Inglaterra, a categoria é tradicional nos países do leste europeu.

 

 

Salto em altura

Os atletas devem saltar sobre uma barra horizontal suspensa por dois suportes verticais separados por 4 metros de distância. O atleta tem direito a três tentativas. Caso consiga, a barra é elevada alguns centímetros para a realização da próxima série. Para executar o salto, os atletas correm em alta velocidade até a barra, giram o corpo enquanto começam a se elevar e tentam superar o obstáculo de costas, antes de cair no colchão de proteção.

 

 

Salto em distância

Cada atleta tem três tentativas para correr em linha reta e saltar, antes da borda frontal da marca de pulo, alcançar a máxima distância possível. Para ganhar impulso, o atleta pode colocar os pés para frente antes de cair na caixa de areia. O salto é medido, em linha reta, desde a marca de pulo até a marca mais próxima feita por qualquer parte do corpo do atleta no espaço de areia em que ele cai.

 

 

Salto Triplo

Os atletas devem alcançar a maior distância possível após uma série de três saltos. Eles correm em linha reta, saltam duas vezes com um pé só a partir de uma marca na pista até se lançarem com os pés em uma caixa de areia. Presente nos Jogos desde Atenas em 1896, o salto triplo é a categoria de maior sucesso no Brasil. Nada menos do que seis medalhas olímpicas foram conquistadas ao longo da história, das quais duas de ouro com Adhemar Ferreira da Silva, em 1952, nos Jogos Olímpicos de Helsinque, na Finlândia e em 1956, nos Jogos Olímpicos de Melbourne, na Austrália.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– LIVRO: Almanaque dos Esportes, Editora Europa, 2009.
– LIVRO: A História dos Esportes, Orlando Duarte, 4ª ed. Editora Senac, SP, 2004.
– LIVRO: Fique por Dentro – Esportes Olímpicos, Benedito Turco. – Rio de Janeiro. Casa da Palavra: COB, 2006.
– LIVRO: O Guia dos Curiosos: esportes 3ª ed. Marcelo Duarte, Editora Panda Books.
– SITE: Confederação Brasileira de Atletismo – http://www.cbat.org.br/
– SITE: Federação Internacional de Atletismo – http://www.iaaf.org/
– SITE: Confederação Sul-Americana de Atletismo – http://www.consudatle.org/
– SITE: Fundação Internacional de Atletismo – http://www.athleticfoundation.org/

Comment(2)

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 2 =