0

Modalidades da Canoagem

Modalidades da Canoagem
0
0

Freestyle

Esta modalidade consiste basicamente em movimentos rápidos e acrobacias. As manobras devem ser executadas em uma onda ou então no refluxo do rio dentro do tempo de 40 segundos.

Todas as manobras são avaliadas e pontuadas de acordo com uma tabela de dificuldades. São usados caiaques e canoas de plástico sem tamanho determinado.

O freestyle não faz parte dos Jogos Olímpicos, porém, há competições nacionais e internacionais reconhecidas pela Federação Internacional de Canoagem.

 

 

Canoagem velocidade

É uma modalidade de competição praticada em rios ou lagos de águas calmas com 9 raias demarcadas nas distâncias de 1.000, 500 e 200 metros. Iniciam-se com eliminatórias que classificam os barcos semifinalistas e finalistas.

Nos caiaques, rema-se sentado com um remo de duas pás. Na canoa, o canoísta apóia-se no assoalho da canoa com joelho e usa remo de uma só pá.

A canoagem velocidade fez sua estréia em 1936, nas Olimpíadas de Berlim, Alemanha.

Nesta modalidade existem seis tipos de classes:

 

K1

Um caiaque para uma pessoa que tem o comprimento máximo de 5,20 metros e com peso mínimo de 12 kg.

 

K2

Caiaque para duas pessoas que tem o comprimento máximo de 6,50 metros e com peso mínimo de 18 kg.

 

K4

Caiaque para quatro pessoas que tem o comprimento máximo de 11 metros e peso mínimo de 30 kg.

 

C1

Canoa para uma pessoa que tem o comprimento máximo de 5,20 metros e peso mínimo de 16 kg.

 

C2

Canoa para duas pessoas que tem o comprimento máximo de 6,50 metros e peso mínimo de 20 kg.

 

C4

Canoa para quatro pessoas que tem o comprimento máximo de 11 metros e peso mínimo de 50 kg.

 

 

Canoagem Slalom

Nesta modalidade os remadores têm que navegar o caiaque ou a canoa por entre as portas (duas balizas suspensas) sendo as de cor verde para remar a favor da correnteza e as de cor vermelha remar contra a correnteza, num percurso que varia de 250 a 400 metros.

Homens e mulheres em caiaques e canoas podem participar desta prova que aceita os mesmos barcos da canoagem velocidade das classes K1, K2, K4 e C1 e C2. Existem também provas entre equipes.

Esta modalidade fez sua estréia nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972 na Alemanha.

 

 

Canoagem Descida

O remador tem que demonstrar o controle sobre seu barco em águas com corredeiras enquanto percorre uma pista que varia de 400 a 800 metros no menor tempo possível.

Conforme a Federação Internacional de Canoagem, hoje existem três classes que fazem parte da canoagem descida que são a K1, C1 e C2. O caiaque e as canoas desta modalidade são diferentes das usadas na canoagem velocidade. Vejamos então através das ilustrações como são estas três classes e suas respectivas embarcações:

 

K1

Caiaque para uma pessoa que tem comprimento máximo de 4,50 metros, largura mínima no casco de 60 centímetros e peso mínimo de 11 kg.

 

C1

Canoa para uma pessoa que tem comprimento máximo de 4,30 metros, largura mínima no casco de 70 centímetros e peso mínimo de 12 kg.

 

C2

Canoa para duas pessoas quem tem o comprimento máximo de 5 metros, largura mínima no casco de 80 centímetros e peso mínimo de 18 kg.

 

 

Canoagem Maratona

Nas competições de maratona na canoagem os competidores percorrem uma distância longa sem padrões prescritos. Com duração aproximada de 3 horas para esta prova, o competidor deve percorrer o percurso como ele achar melhor e deve estar preparado para, se necessário, transportar sua embarcação através de algum obstáculo que esteja na água e não seja possível remar ou por terra, retirando a embarcação da água e voltando para a água assim que o obstáculo for superado.

As categorias que podem participar da prova são:

Homens: K1, K2, K4, C1 e C2

Mulheres: K1 e K2

Misto: K2 e C2

Há vários tipos de águas da qual ocorrem a prática desta modalidade. Rios com ou sem obstáculos e interrupções, represas, pedras e/ou águas rasas que obrigue o competidor a transportar o seu barco por terra ou não. Lagos, estuários ou mar aberto com qualquer das combinações acima também fazem parte da prática da canoagem maratona.

 

 

 

Canoagem Onda

Esta modalidade, com origens vindas de embarcações de pesca que eram usadas tanto em rios como nos mares, se destaca por ser um esporte radical.

A canoagem onda, no Brasil, se divide em duas classes: Kayaksurf e Waveski. Internacionalmente, no entanto, elas são independentes.

 

Kayaksurf

Esta modalidade é praticada com caiaques com shapes, do qual proporcionam ao canoísta, surfarem as ondas do mar. Ao contrário do que se possa imaginar, o esporte proporciona um desempenho parecido com a prancha de surf. Manobras como aéreo, tubos e cutbacks podem ser realizadas no Kayaksurf.

Este esporte surgiu através dos salva-vidas da Austrália e da África do Sul que utilizavam os caiaques para se locomover no mar. Os primeiros campeonatos de Kayaksurf aconteceram nos Estados Unidos, na década de 1960.

Há uma enormidade de tipos de caiaques existentes nesta classe. Uns construídos de fibras e outros até de carbono com quilhas que permitem manobras excelentes no mar.

A Associação Mundial de Kayaksurf promove a cada 2 anos o campeonato mundial nos melhores picos de surf do mundo. Na competição existem duas categorias: a primeira é a mais tradicional chamada “international class”, que é a categoria de caiaques superiores a 3 metros de comprimento, similares ao longboard das pranchas de surf. Já a “high performance” é a categoria do qual os caiaques podem ou não ter quilhas, tendo no máximo 2,75 metros de comprimento.

 

Waveski

O Waveski teve início em 1962, na Austrália tendo sido realizada a sua primeira competição internacional em 1975, na África do Sul.

Feito com uma prancha de aproximadamente 6 kg, tri quilha, e com maior volume na parte de trás, tem a finalidade de manter uma flutuação e estabilidade maior na onda. O atleta fica fixado no prancha através de um cinto no acento e de outro nos pés, localizado próximo ao bico, com uma pedaleira.

 

 

Canoagem Caiaque Pólo

O jogo

Duas equipes formadas por cinco canoístas cada, competem em uma piscina de 30 x 20 metros do qual o objetivo é marcar gols na goleira do adversário que medem cada uma 1,5 x 1 metro e são montadas a 2 metros do nível da água. A bola é igual a do pólo-aquático e cada caiaque têm no máximo 3 metros de comprimento.

Para explicar um pouco deste jogo, comparamos o caiaque-pólo com o handebol. Pois nele pode-se jogar tanto com as mãos quanto os remos.

Com as mãos, cada jogador pode ficar apenas 5 segundos com a bola podendo dentro deste tempo ou passar para outro companheiro ou então passar para si mesmo, desde que a bola percorra 1 metro, ou então, pode arremessar a bola no gol.

Os remos servem apenas para empurrar a bola ou para serem usados como defesa. O detalhe que a bola pode ser empurrada pelo remo sem tocá-la.

Os equipamentos obrigatórios que devem ser utilizados são: o capacete, coletes de salva-vidas e uma saia de tecido flexível para que a água não entre na cabine do caiaque.

*Saiba mais sobre o Caiaque Pólo no menu Esportes Aquáticos!

 

 

 

Canoagem Polinésia ou Va’a

 

Va’a – A origem

A canoagem Polinésia, ou Va’a, como é tradicionalmente chamada no país, tem origem das Ilhas da Polinésia e Micronésia. Estas embarcações eram utilizadas pela colonização destas ilhas.

 

O va’a que é praticado hoje, tem descendência das antigas canoas de pesca, havaianas e taitianas que ao longo dos últimos 50 anos conquistaram o nível de modalidade esportiva no Havaí e na Polinésia Francesa.

Va’a – No Brasil

A história do Va’a no Brasil começou no ano de 1994, quando o brasileiro Ronald Willians estava de férias no Brasil após competir na Califórnia/EUA. Ele iniciou seus primeiros contatos com o intuito de trazer o esporte para o país.

Na época, Ronald treinava no clube de canoagem Creek Racing Canoe Club de Vancouver, no Canadá.

De lá pra cá, o esporte foi crescendo no país e estima-se que há mais de mil praticantes regulares na Confederação Brasileira de Canoagem em mais de oitos estados como o Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

Va’a – As modalidades

No Va’a, o respeito pelas tradições da Polinésia é fundamental. O esporte destaca o trabalho de equipe. A sincronia entre os remadores, a técnica da remada e potência permitem que a canoa chegue a atingir velocidades superiores a 24 km por hora surfando em uma onda.

A Federação Internacional de Va’a adotou a letra V e um número para caracterizar as categorias de canoa de acordo com o número de remadores. São elas: V1, V2, V3, V4, V6 e V12. No caso da V1 e V2 são nomenclaturas dadas às canoas tradicionais, ou seja, sem leme. Já as que possuem leme, a nomenclatura tem o acréscimo da letra R (Rudder), uma pequena concessão para os ingleses que utilizam o leme em suas canoas. Sendo assim a nomenclatura fica V1R e V2R. Apenas salientamos que na maioria dos países, o leme não é usado.

 

V1

Canoa individual, com ou sem leme.

 

V2

Canoa para dois remadores, com ou sem leme.

 

V3

Canoa para três remadores, sem leme.

 

V6

Canoa para seis remadores, medindo de 12 a 14 metros de comprimento, 50 centímetros de largura e pesam entre 150 e 200 kg.

 

V12

Canoa para doze remadores. Este tipo de embarcação é formado por duas canoas V6 que forma uma espécie de catamarã.

 

 

 

Barco-dragão

Esta é uma modalidade da canoagem inspirada nos costumes orientais. São corridas realizadas em barcos-dragão (Dragon Boats) que são grandes canoas abertas decoradas com dragões de madeira na proa e são disputadas por equipes de dez ou vinte remadores, além de um timoneiro e de outro componente que dita o ritmo do tambor. Os remadores usam remo de uma só pá e o vencedor é a equipe que cumprir o percurso que normalmente varia de 500 a 1.000 metros, no menor tempo.

 

 

 

Canoagem Adaptada

Esta é uma modalidade da canoagem especificamente para as pessoas que possuem algum tipo de deficiência física, auditiva, mental, visual ou múltiplas. Os participantes podem ou não usar equipamentos que ajudem a melhorar seu rendimento com segurança.

 

 

 

Canoa a vela

Nesta modalidade, as canoas possuem velas de 10m² e são impulsionadas pelo vento. Pelo fato da embarcação ser leve, pode atingir grande velocidade. A Canoa a vela ou Canoe Sailing é um esporte reconhecido pela Federação Internacional de Canoagem (ICF).

 

 

 

Canoagem – Rafting

O que é?

O Rafting consiste na descida de rios em botes infláveis do quais os integrantes da embarcação remam sob o comando de um Instrutor que é o responsável pela orientação do grupo durante o trajeto.

*Saiba mais sobre o Rafting no menu Esportes Radiciais e Aventura!

 

 

 

Canoagem Oceânica

O objetivo desta modalidade é percorrer um percurso previamente definido em carta náutica, em águas marinhas, no menor tempo possível.

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– LIVRO: Almanaque dos Esportes, Editora Europa, 2009.
– LIVRO: A História dos Esportes, Orlando Duarte, 4ª ed. Editora Senac, SP, 2004.
– LIVRO: Fique por Dentro – Esportes Olímpicos, Benedito Turco. – Rio de Janeiro. Casa da Palavra: COB, 2006.
– LIVRO: O que é canoagem, remo e esqui aquático / Silvia Vieira, Armando Freitas. Rio de Janeiro: Casa da Palavra: COB, 2007.
– SITE: Confederação Brasileira de Canoagem – http://www.cbca.org.br/
– SITE: Federação Internacional de Canoagem – http://www.canoeicf.com/
– SITE: Federação Pan-Americana de Canoagem http://www.kayakpanam.com/
– SITE: Associação Européia de Canoagem – http://www.canoe-europe.org/
– SITE: Federação Francesa de Canoagem – http://www.ffck.org/
– SITE: Reino Unido de Canoagem – http://www.bcu.org.uk/

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 6 = 3